Sei que todos os seres humanos estão aqui no planeta Terra para serem felizes. Tudo o que fazemos é em busca de nos sentirmos bem, no entanto, estamos constantemente, envolvidos com atividades e coisas que não são suficientes para alcançar esse bem-estar que tanto desejamos. Fazemos isso, muitas vezes, de forma automática. Na correria diária, não nos damos conta da nossa falha. Na grande maioria das vezes, são influências externas do mundo em que vivemos. A nossa alma é como um jardim! E para que tenha vida e floresça, necessita de cuidado e atenção! É interessante parar para cuidar com carinho dos nossos sentimentos! O mundo externo refletirá o eu interior de cada um! Sejam muito bem-vindos!

últimas postagens

O Homem Mais Rico da Babilônia

O Homem Mais Rico da Babilônia, foi escrito por George S. Clason. É um livro interessante para todos aqueles que desejam melhorar suas vidas financeiras e atingirem grandes objetivos, mesmo que não obtenham muitos recursos. O desenvolver da narrativa, traz belas histórias que são repletas de lições e aprendizados vivenciados pelos personagens.  As histórias do livro, nos envolvem de maneira muito prazerosa na leitura, ao mesmo tempo em que nos desperta para a reflexão de nossa vida cotidiana, bem como a necessidade de praticar os ensinamentos.

O livro traz alguns princípios simples, porém, são esses a base e a estrutura primordial para vida financeira de todos aqueles que desejam alcançar a prosperidade, independência e enriquecimento.

Dentre os princípios abordados no livro, estão o planejamento financeiro, a importância de poupar, empréstimos, o trabalho, a importância de honrar compromissos e débitos, a importância de controlar os impulsos de consumo, o conhecimento, a sabedoria, a determinação, entre outros.

A história se inicia quando 02 homens em situações de extrema pobreza são tomados por sentimentos de muita tristeza, revolta e fracasso. Depois de tanto trabalhar e trabalhar e continuarem na miséria, eles resolvem procurar Arkad, amigo de infância, que agora era o homem mais rico da Babilônia, para pedir conselho. Arkard, o principal personagem da história, se tornou um homem rico. Ele era considerado segundo a opinião dos seus amigos, um homem de muita sorte e agraciado pelos “deuses.”No entanto, a vida de Arkad era dura e difícil no início. Assim os amigos resolveram procurá-lo. Então, Arkad falou para seus amigos que se eles estavam na situação de pobreza, e se ele era rico, não era por mera sorte, mas sim por fruto de muito trabalho e sabedoria para lidar com o dinheiro. E aí narrou sua história para os amigos, demonstrando que também passou por dificuldades.

Ele era um homem pobre e sem recursos financeiros, trabalhava e o que ganhava  mal dava para comer, possuía dívidas e despesas que mal conseguia prover. Precisava, portanto, encontrar alternativas para sair da vida miserável a qual se encontrava. E assim fez.

Certo dia, Arkad encontrou Algarmich, um homem muito rico naquela época. E esse o  encomendou um trabalho grande que precisava ser entregue em um espaço pequeno de tempo.  Arkad se prontificou a fazer a tarefa em troca de conselhos para enriquecer. Então, ele virou a noite sem dormir trabalhando e conseguiu entregar. Algarmich muito satisfeito com o trabalho de Arkad, resolveu passar os seus conselhos para ele.

Veja agora alguns dos importantes conselhos:

  • Decida que de tudo aquilo que você ganhar, uma parte é sua para guardar.
  •  Você deve economizar, no mínimo 10 % do que ganha. Se puder, deve guardar mais.
  • Dessa economia acumulada durante os anos, deve se investir para que o dinheiro trabalhe para si. O dinheiro é como frutos que dão em uma árvore.
  • Cuidado onde investir o seu dinheiro, para que não se perca todo economizado com o seu esforço. Portanto, estude e descubra os melhores investimentos. E só invista quando realmente souber que a fonte é segura.
  • Busque conhecimento com aquelas pessoas especializadas e que realmente entendem sobre as finanças.
  • Evite gastar com alugueis
  • E quanto ao fruto dos investimentos, não os gaste com os prazeres. Resista a tentação de seus próprios desejos quando aparecer algo que o seu corpo e olhos desejarem. Portanto, invista esses frutos que estão rendendo, para que esses também lhes gere mais e mais outros frutos.

“A riqueza, como uma árvore, cresce a partir de uma semente minúscula. A primeira moeda de cobre que economizar é a semente a partir da qual crescerá sua árvore. Plante-a rápido e a árvore surgirá ligeira. E quanto mais constante for aguando e tratando a sua planta com economias sucessivas, mais cedo se acomodará satisfeito sob sua sombra.” ( Livro O Homem Mais Rico Da Babilônia)

Além dessa resenha do livro “ O Homem Mais Rico da Babilônia, talvez você possa gostar da resenha de outros livros. Acesse em: https://pausaparaaquecerocoracao.com/?s=livro

Resenha feita por Hérica Rodriguess

O primeiro da Classe – uma história de superação

Filme “O primeiro da classe” – uma história de superação. Esse é um filme baseado em fatos reais que conta a história de Brad Cohen, um jovem rapaz com uma deficiência conhecida como síndrome de Tourette ( Uma doença neurológica que provoca movimentos involuntários. São vários tiques motores e vocais). No caso de Brad, ele fazia alguns barulhos com a boca e as vezes mexia a cabeça, mas existem diversos movimentos desenvolvidos por diferentes pessoas. Estima-se que essa doença é mais comum em pessoas do sexo masculino.

Alguns exemplos desses movimentos provocados pela Tourette são :

  • Piscar repetidamente os olhos
  • Fazer caretas
  • Mover a cabeça de um lado para o outro
  • Tossir, pigarrear, fungar ou cuspir
  • Encolher ou sacudir os ombros
  • Esticar os braços, estalar os dedos, bater palmas ou fazer outros movimentos com os braços e as mãos
  • Chutar, saltar, rodar, torcer-se ou fazer outros movimentos com os pés e as pernas
  • Repetir determinadas palavras
  • Dizer palavrões (coprolalia) ou fazer gestos obscenos
  • Gritar, gemer, assobiar, grunhir ou emitir outros sons

As pessoas com esse problema, não conseguem controlar essas reações repentinas e repetidas provocadas pelo cérebro.

A história é interpretada pelo ator Jimmy Wolk, e relata a difícil trajetória de Brad, sempre cercado pelos preconceitos da própria sociedade. Cohen, enfrenta várias dificuldades para se posicionar no meio social de forma sadia, para encontrar um lugar no mercado de trabalho, e até mesmo para interagir com grande parte das pessoas. O rapaz é excluído e ridicularizado na escola desde da infância. O fato de ser menosprezado, provoca nele sentimentos de tristeza e impotência.

Durante toda a trajetória do filme, é demonstrado a luta de Brad, para ser visto como uma pessoa inteligente, capaz de trabalhar, estudar e ter uma vida normal, como as outras pessoas, e também o seu desejo e luta para conseguir um emprego como professor escolar infantil. Porém, não são raras as vezes que ele, apesar de toda a sua competência e qualificação, depara-se com o preconceito. Todas as portas são fechadas para ele. Brad, enfrenta muitas dificuldades na escola, onde os colegas o criticam e o menosprezam. Enfrenta dificuldades enquanto criança também na família, pois o pai não acredita que é um problema e torna-se um pouco frio com ele.

Brad passa momentos de muitas decepções, tristeza, e frustrações. Ele ouvi muitos nãos, mas não desiste de realizar o sonho de ser um grande professor. Ele continua, independentemente dos obstáculos e das dificuldades.

Mensagens retiradas do filme ” O primeiro da classe – uma história de superação: confiança, força, autoconfiança, fé, determinação, flexibilidade, aceitação, autoconhecimento, coragem, humildade e esperança.

Além dessa resenha: “O primeiro da classe” – uma história de superação, talvez você possa gostar de outras resenhas de filmes aqui do blog. Acesse em: https://pausaparaaquecerocoracao.com/?s=filme

Resenha escrita por Hérica Rodriguess

Metafísica da saúde – o comunicar do corpo através das doenças

Metafísica da saúde – o comunicar do corpo através das doenças. Desde que o mundo é mundo, a humanidade sofre com dores físicas, sintomas e doenças em algum nível. Todos nós já experienciamos em algum momento e, em algum degrau, essa alteração biológica do nosso estado de saúde, que se manifesta através de sintomas, enfermidades, epidemias, moléstias enfim… Alguns em proporção menor, outros de uma maneira mais grave. O fato é que os seres humanos vêem lidando com isso há milênios, sem de fato conhecer a fundo a origem e a raiz de todos esses males que afligem a população mundial.

Eu descobri a Metafísica da saúde totalmente por acaso. Vou relatar brevemente aqui abaixo:

Há uns 4 atrás, eu passava por um problema pessoal, e naquela noite e não havia dormindo. Então quando já amanhecia, eu dormi por volta de apenas 2 horas. Foi quando senti uma forte pontada de dor em uma parte de meu corpo. Eu me lembro que acordei por causa da dor, e aquilo chamou a minha atenção, pois nunca havia acontecido antes. Então eu associei em minha mente, que talvez aquele sintoma, seria pela situação emocional que eu estava passando, ( tristeza, medo, culpa e raiva…) e que isso pudesse ter gerado aquela pontada de dor. Foi aí que decidi pesquisar na internet. Eu me lembro que escrevi o meu sintoma e junto escrevi também a emoção que eu sentia. Então encontrei a Metafísica da saúde e um texto da Cristina Cairo. Eu realmente fiquei perplexa quando li a respeito da relação daquela dor na parte do meu corpo, que havia me acordado, está associada aos sentimentos e comportamentos que eu experimentava. E era exatamente o que eu estava passando. Então pensei: não é coincidência. A partir daí, me apaixonei por esse estudo e comecei a ler livros, ouvir profissionais dessa área e estudar sobre o assunto. Percebi que todas as doenças, desde uma simples gripe ou uma enxaqueca, até outras doenças graves estão associadas ás emoções e comportamentos. Eu costumo dizer que conheci a Metafísica da saúde por experiência própria.

A Metafísica da Saúde é uma ciência que estuda as doenças e suas relações com a mente. Essa relação vai além do campo físico, ou seja extrapola o material. O ser humano é um todo, ( corpo, mente e espírito) e portanto, as doenças não devem ser analisadas de maneira isolada, apenas na esfera material, mas de uma maneira conjunta. Ao surgir uma doença, deve-se analisar o ser humano por completo em seus estados emocionais, psicológicos, espirituais, sentimentais e energéticos.

Para a Metafísica da saúde, todas as doenças tem como origem, algum pensamento, sentimento, emoção ou comportamento. Como foi falado anteriormente, não somos apenas um corpo físico, possuímos uma mente, que nos gera pensamentos a respeito de nós mesmos, ou a respeito dos outros. Esses pensamentos nos geram emoções e sentimentos, que por consequência farão com que adotemos algumas crenças, essas crenças se tornam os nossos padrões mentais e nos trarão determinados tipos de comportamentos. E esses comportamentos, uma vez repetidos ao longo da vida, se nocivos, vão aos poucos minando a saúde física e mental. Quando o corpo nos apresenta alguma doença, é a forma que ele encontrou para comunicar conosco que algo não anda bem em alguma área ou setor de nossa vida. Uma vez corrigido esses padrões mentais e emocionais, corrige-se também os problemas de saúde. Doenças são sentimentos e emoções somatizadas no nosso corpo físico.

A Metafísica da saúde é mais uma das inúmeras formas de autoconhecimento disponíveis para nós, nesse maravilhoso Universo! por isso, posteriormente, procurarei trazer aqui no blog, alguns artigos a respeito de algumas doenças separadamente. No entanto, é importante que se entenda que ao estudar a Metafísica da saúde, deve-se voltar para si mesmo e não para o outro. Jamais deve-se utilizá-la com intuito de julgamentos.

Além desse artigo: “Metafísica da saúde – o comunicar do corpo através das doenças“, acesse outros artigos aqui no blog! Acesse em: https://pausaparaaquecerocoracao.com/category/comportamento/

Escrito por Hérica Rodriguess

Filme – Superação o milagre da fé

Filme – Superação o milagre da fé, é um drama biográfico, baseado em uma história real. Apesar de seguir os padrões de um filme religioso, mais propriamente cristão, pode-se perceber nele uma mensagem de uma confiança inabalável.  O que  sem sombras de dúvidas, ultrapassa os limites religiosos,  pois a fé  pode ser  aplicada á vida de todo e qualquer ser humano, que deseja superar os limites de uma mentalidade reduzida,  materialista, ou  ainda inflexível, fechada e acabada. E isso,  independe de qualquer religião.  Ao exercitar a fé,  abre-se os “olhos” da mente e do coração.  Entender o real sentido da fé, é expandir a consciência. A fé  vai muito além do que aquilo que os olhos podem enxergar, ou do que a mente absolutamente material possa entender.

O filme conta a história real  de Jonh Smith, ocorrida no ano de 2015. John, um adolescente de 14 anos e jogador de basquete.  Filho de pais adotivos,  sofre uma dor emocional por ter sido abandonado pelos seus pais biológicos, quando era ainda um bebê.  A família Smith, faz parte de uma comunidade cristã, nos Estados Unidos da América.  O fato de John ser adotivo,  não impediu de ele ser extremamente amado pelo casal que o adotou com apenas 09 meses de idade.

Tudo corria normalmente bem até o dia 20 de Janeiro de 2015,  feriado de Martin Luther King. John se divertia com seus amiguinhos em um lago congelado. Os garotos tiravam fotografias, quando a camada fina do gelo que envolvia a superfície do lago se quebrou. John sofreu um acidente  e afundou para dentro do lago.  A equipe de resgate conseguiu resgatá-lo, porém, as lesões foram terríveis! O que o fez ficar praticamente morto em um hospital por alguns dias. Os médicos fizeram muitos exames e deram o diagnóstico. Eles comunicaram  á família que a chance de John morrer seria a mais provável. Caso sobrevivesse, teria sequelas gravíssimas e jamais voltaria a ser uma pessoa ” normal” .  O garoto ficou vivo a base de aparelhos. Os seus pulmões ficaram cheios de sangue, o cérebro não funcionava, e o coração para continuar batendo, precisou de várias doses de injeção de adrenalina.

Todas as pessoas do ciclo de convivência de John, não tiveram esperança em sua sobrevivência. Nem os amigos da escola, nem os membros da igreja, nem o próprio bispo, e até mesmo o seu pai. Contudo, a fé de Joyce, sua mãe, permaneceu inabalável. Ela não perdeu a fé na vida e recuperação do seu filho em nenhum momento. Ela desafiou todas as pessoas que ousaram duvidar de que John pudesse se recuperar. Então, familiares, amigos e professores,   se mobilizam em preces e orações por John.

A mensagem principal do filme, é a fé inabalável.  A fé é capaz dos milagres mais inacreditáveis. O nosso cérebro responde positivamente quando temos uma confiança inquestionável. A física quântica já provou que tudo o que existe no Universo é energia.  Cada um de nós podemos sim, colapsar a realidade de acordo com aquilo em que acreditamos.  O fato de todas as pessoas se unirem em oração por John, teve também uma força universal que se conectou ao criador. Tudo e todos no Universo está interligado. Estamos ligados uns nos outros, e,  automaticamente  ligados ao Criador. Quando temos fé,  falamos a linguagem de Deus. E isso de fato nunca falhará. No entanto, para  alcançar os milagres, é necessário levar o coração e a mente á ancorarem na fé!

Mensagens que podemos retirar do filme: Força, superação, fé, amor, confiança, amizade, esperança, persistência, cooperação, compaixão, aceitação, ajuda.

Bem, agora vou deixar que você assista ao filme. Se surpreenda com essa história linda e comovente!

Além da resenha desse filme – ” Superação o milagre da fé”, talvez você possa gostar de outras resenhas aqui do blog. Acesse outras resenhas em: https://pausaparaaquecerocoracao.com/?s=filme

Resenha escrita por Hérica Rodriguess

 

O sabotador controlador: a ilusória sensação de comandar a vida

O sabotador controlador e  a ilusória sensação de comandar a vida! Sabemos que a vida é incontrolável. Nós podemos ter atitudes para gerenciar a nossa vida e os nossos projetos futuros, de uma determinada maneira, para alcançarmos o sucesso, as bençãos e a realização de nossas metas, mas  não conseguimos controlar definitivamente como que as coisas acontecerão o tempo todo, e, da maneira que nós já determinamos em nossas mentes. Podemos trabalhar para alcançar os nossos objetivos de maneira eficiente,  porém,  sem tentar controlar a vida de uma maneira manipuladora e predeterminada, ou   acreditar que  os resultados serão exatamente  100 % da forma que determinamos!  O sabotador controlador e  a ilusória sensação de comandar a vida, é mais uma das armadilhas que a  mente  nos prega.

Desejar controlar as situações, as pessoas e a vida, traz sem sombras de dúvidas, um prejuízo para a paz interior.

A necessidade de controlar, esconde em suas entranhas mais profundas, uma insegurança, um medo, ou uma baixa autoestima que permeiam o inconsciente, ou até mesmo o consciente do indivíduo. Na realidade, uma pessoa controladora tem como finalidade o bem maior daqueles que ama e de si mesmo. Essa pessoa tenta se resguardar de possíveis sofrimentos futuros. E esse medo, ou essa insegurança, se tornam mais propensos de se manifestarem nos dias atuais; principalmente para aquelas pessoas adeptas de notícias de tragédias, e,  dos males que ocorrem no mundo. O controle não é nada mais nada a menos, do que uma tentativa de proteger a si e aos outros, dos possíveis males eventuais.

O controlador possui a necessidade de assumir responsabilidades, para que possa controlar e dominar as situações. Ele acredita que para que tudo saia perfeito, existe a necessidade de que ele esteja no controle. E assim, não consegue delegar. Ele não consegue repartir tarefas para as outras pessoas, e não consegue também receber ajudas. O que muitas vezes, o deixa estressado, sobrecarregado e exausto. O que de certa maneira, o torna um manipulador dos outros e das situações cotidianas em geral.

Pessoas controladoras desejam que tudo saia exatamente como já está predeterminado em suas mentes. E com isso,  tentam conduzir aos outros, para que façam as coisas e ajam de acordo com as suas vontades. Inconscientemente eles agem visando o melhor para vida deles. Como já mencionado anteriormente, existe uma voz interior do medo, que roda o tempo inteiro em suas cabeças. Elas fazem tudo isso na tentativa de manter o incontrolável, ou seja, o destino, sob controle. Essas atitudes,  os fazem viver de forma bastante ansiosa e impaciente. Principalmente quando as coisas não saem do jeito que os controladores querem, ou quando as outras pessoas não agem como eles desejam. E é aí que os controladores não apenas sofrem sendo vítimas de suas próprias ansiedades, como também fazem aqueles que estão á sua volta sofrerem.

Tentar controlar aos outros, é algo insensato e ilusório! Além de ser um grande dispêndio de energia, e, sabotar a própria vida.  Todas as pessoas são diferentes. E portanto, pensam e agem diferente. Na verdade, a única coisa que de fato podemos controlar, somos nós mesmos! Nós nunca iremos conseguir controlar as pessoas! Não conseguimos controlar aos nossos filhos, aos nossos cônjuges, ou as situações! Quando tentamos controlar, estamos sabotando os nossos relacionamentos e também a nossa saúde. A partir do momento que desejamos que outro faça as coisas exatamente como queremos, deixamos de respeitar o livre -arbítrio do outro! 

Para o controlador, as situações decorrentes da vida, e as pessoas, dependem dele para darem certo. Para ele, as pessoas só farão bem feito,  se ele as comandarem.  Ele acha que  o fato dele prestar muita atenção e trabalhar sobre as situações, ou sobre as pessoas, fará com que as coisas saiam da forma que ele deseja. Grande ilusão! Na verdade, todo o controle que ele tenta exercer,  é para que ele não seja controlado pela vida.

Os controladores ficam ansiosos se as situações darão ou não certo. Ficam com raiva e intimidados quando os outros não fazem o que eles querem. Geralmente, são impacientes com os sentimentos e estilos diferentes dos outros. Isso os afastam dos relacionamentos legais.

O controlador se sabota o tempo inteiro em seus relacionamentos, visto que constantemente se envolve em conflitos com os outros. O fato de tentar manipular as pessoas para que façam as coisas do jeito que ele quer, gera atritos, pois ninguém deseja ser controlado. Ninguém gosta de conviver com pessoas controladoras. Ele intimida aos outros e por isso, muitas vezes, não  é querido nos ambientes em que chega. O controlador, inconscientemente afasta os bons relacionamentos dele, o que chamamos aqui de autossabotagem. Pessoas controladoras, podem ser consideradas rígidas, antipáticas, intimidadoras, controladoras, chatas, manipuladoras, etc. 

O controlador não entende quando as pessoas se ressentem e se afastam dele, visto que ele acha que todo esse controle é bom para os outros.  Então, as frustrações dele são constantes.  O que gera nele, um sentimento de incapacidade, de fracasso e de mágoas. Muitas vezes,  se sente rejeitado. E é de fato o que acontece. Pois, como sabemos, nós não detemos o controle sobre vida, sobre as situações e principalmente sobre pessoas.

O desejo de controlar não passa de uma ilusão da mente!  Porque a mente acredita que se ela ficar o tempo inteiro em alerta, ou preocupada,  irá evitar que as situações, ou mudanças aconteçam. E isso é uma grande ilusão! A vida é um processo dinâmico,  é mutação,  é movimento! As pessoas são diferentes; imprevistos acontecem… As pessoas agem de maneira inesperada.  E tudo precisa fluir! Esse desejo de controle é a ilusão de que se se mantiver em alerta, ou no controle o tempo inteiro, as coisas ocorrerão perfeitas. 

É interessante sermos pessoas atentas, analisadoras, perspicazes e cuidadosas! E de certa maneira,  estarmos sobre o controle das nossas vidas e da vida daquelas pessoas que amamos!  Nos mantermos em um determinado controle, até certo ponto, fazer a nossa parte até onde nos cabe, cuidar daqueles que amamos, cuidar da nossa vida, cuidar do nosso trabalho e dos nossos afazeres, é algo interessante,  para que nós nos mantenhamos em um processo de desenvolvimento satisfatório para as nossas vidas! Porém, o grande problema surgi,  quando isso passa dos limites, ou começa a ser um controle 100 por cento do tempo, em  todos os momentos!  E ainda,  desejar ter  resultados 100 por cento predeterminado, e, ter uma certa frustração, ou  um certo desiquilíbrio, quando  as coisas saírem de maneira diferente!  Nós devemos ter equilíbrio! Tudo na vida é equilíbrio! Quando o controle se torna um excesso, aí é que surge o problema!

Tentar controlar a vida e as pessoas é um grande sabotador da saúde também. Pessoas controladoras desenvolvem ansiedade, dor de cabeça, tonturas, perda de energia, insônia e inúmeras outras doenças que poderão se somatizar no corpo e na mente.

Precisamos nos flexibilizar! Precisamos ter jogo de cintura quando as coisas mudarem, ou não saírem da maneira que planejamos! E principalmente, precisamos também saber delegar!

Devemos diferenciar as coisas que não podemos controlar, daquelas que realmente podemos controlar!

Não devemos gastar o nosso tempo e energia tentando controlar coisas, pessoas e situações que realmente não temos nenhum controle!

Devemos nos desapegar do controle, e focar a nossa energia para aquilo que de fato temos o poder de controlar, ou seja, nós mesmos!  Quando passarmos a ter essa atitude, nós teremos mais paz na  vida, mais equilíbrio, mais harmonia interior, mais leveza. E aí,  teremos uma vida mais equilibrada, mais fluida; com mais saúde nos relacionamentos, e em nossos corpos físicos. Além de sentir  um  bem-estar em todos as áreas de nossas vidas!

Liberte-se do desejo do controle! 

Além desse vídeo e artigo “O sabotador controlador:  a ilusória sensação de comandar a vida”, talvez você queria saber mais a respeito desse assunto. Leia  mais a respeito da autossabotagem em: https://pausaparaaquecerocoracao.com/2019/07/06/autossabotagem-quem-a-tem-nao-precisara-de-adversarios/

Assista também sobre o sabotador da culpa no meu canal no Youtube. Acesse em: https://youtu.be/X6S2AnpTIT0

Texto de autoria de Hérica Rodriguess

O poder das palavras

Olá pessoal! Bem-vindos ao áudio aqui do canal! Hoje iremos falar a respeito do poder das palavras na vida das pessoas. Primeiramente eu gostaria de falar para aqueles que não assistiram ainda, que tem outro vídeo que eu falo sobre o poder das palavras aqui no canal. É um vídeo bem completo e esclarecedor, com enfoque maior no  poder das palavras em nossas vidas. É importante que assistam a esse vídeo também e, se possível, primeiro, para você entender melhor sobre o assunto, pois esse aqui é continuação do vídeo anterior!

Vamos lá! O poder das palavras na vida das pessoas! Bem gente, antes de entrar especificamente na questão das palavras, vou explicar resumidamente para vocês, um pouco sobre como funciona o nosso cérebro quando ainda em desenvolvimento, ou seja, quando ainda somos crianças. Bem, todos nós seres humanos, nascemos com a mente limpa, o cérebro totalmente livre,  sem nenhum programa, e, prontos para sermos, digamos assim programados. E é de fato o que ocorre conosco. Tudo em que acreditamos, como a religião por exemplo, aquilo que temos como certo ou errado, moral ou imoral; a língua que falamos e, saibam vocês que até o tipo de alimentação que nós gostamos, foi nos ensinado. Foram programas que foram inseridos dentro de nós, quando eramos ainda bem pequenos. Eu posso apostar que você sabe que se tivesse nascido na China, falaria chinês, mas duvido que já tenha parado para pensar que se você tivesse nascido lá, gostaria de certos tipos alimentos bem diferentes dos quais hoje você gosta. Ou seja, até o tipo de alimento que preferimos, foi nos ensinado. E isso depende de onde e o que foi nos ensinado a comer.

Mas, para que eu estou falando isso?  Eu estou falando isso, para mostrar a vocês que assim como os nossos gostos, condutas entre o que é ético ou moral, tipo de religião, aquilo que pensamos se certo ou errado, alimentação, língua; assim como os conceitos que temos da vida, do mundo, das outras pessoas e, principalmente o que pensamos de nós mesmos, está ligadinho com isso. Está bem ali, coladinho com os programas que foram inseridos em nós, quando eramos pequenos.  Pelos nossos pais, tios, avós, professores, líderes religiosos e por aí vai… E UMA DAS FORMA DE INSERIR ESSES PROGRAMAS EM NÓS, É ATRAVÉS DAS PALAVRAS. A verdade é: nós fomos programados.

Como eu falei no vídeo anterior ( O poder das palavras), o inconsciente  é como um computador que executa os programas inseridos nele. Esses programas, que no caso  eu estou falando agora, são as palavras, que podem ser tanto positivas quanto negativas.  Se fossem sempre programas positivos seria ótimo! Mas, muitos e muitos desses programas são negativos e  podem nos gerar consequências para toda a vida. O grande problema é que isso se transforma em crenças internas, e, essas crenças é que estão enraizadas no nosso subconsciente, e muitas vezes nos impedindo de termos uma vida que tanto almejamos. O sistema de crença de um individuo é algo difícil de mudar, porém, não é impossível! Podemos sim, mudar isso.

 Na verdade, eu trouxe essa reflexão aqui hoje para chamar atenção dos pais, tios, avós, professores e cuidadores, para ficarem atentos com as palavras que direcionam aos seus filhos e as todas as outras crianças! Eu sei que muitos pais não fazem por mal, mas talvez alguns, em um momento de estresse, pode acabar proferindo palavras para os filhos e, sem saber, estar gerando uma crença limitante na vida daquela criança.  (Eu faço aqui uma pausa para explicar para vocês o que é crença limitante. É basicamente aquilo que acreditamos piamente como verdade, e, que estamos convencidos de que é assim mesmo, pronto e acabou). Então quando essa criança crescer, é provável que tenha sim, sérios problemas naquela  área que ouviu palavras  negativas na infância, na adolescência, ou até mesmo na vida adulta. Porém,  principalmente na infância, essas crenças são enraizadas no subconsciente mais rapidamente.

Outra coisa é que alguns professores, também podem cometer esse erro. Alguns podem fazer isso sem entender o verdadeiro poder castrador que tem uma palavra negativa na vida de uma criança.  Eu mesma quando criança, ouvi palavras negativas. Inclusive de professores. E eu confesso que ao me tornar uma adulta, queria encontrar-lhes para dar-lhes um sopapo na cara. Rssss!!! Brincadeira, gente! Deixa-me abrir um parêntese aqui, para dizer que ( eu não tenho nada contra os professores)! Eu também sou professora. Atualmente não estou dando aulas, mas já lecionei por 10 anos. E acho que os professores merecem todo o nosso respeito! Mas, infelizmente, existem alguns que cometem sim, esse erro! Em  todas as profissões, há Profissionais e profissionais! 

Mas,  voltando aqui: vou dar alguns exemplos de frases que não se deve falar para uma criança: “esse menino é danado.” “Deixa de ser lerdo!” “Encapetado!” Cuidado seu burro! “Olha só o seu amigo, como faz melhor que você!” “Seu irmão é melhor do que você.” “Você não vai dar nada na vida.” “Você puxou a família de seu pai ou de sua mãe, por isso não vai prestar.” “Deixa de ser preguiçoso!” “Atentado!” “Essa criança é tímida”. “Essa criança é perturbada.” “Essa criança é inquieta, é agitada.” “Ela tem dificuldade de aprender.” E por aí vai!  Eu poderia citar inúmeros exemplos aqui. Então faço uma alerta para vocês: fiquem atentos a isso! Se policiem!

Agora vamos falar do poder das  palavras nos relacionamentos! Qualquer tipo de relacionamento, familiar,  entre marido e mulher e de amizade… Muitas amizades são desfeitas, por causa de fofocas e conversas maledicentes. Brigas são instigadas por causa de uma palavra maldita ,agressões e até morte.

Existem pessoas que estão em depressão, por que deram ouvidos ás línguas maliciosas, maldizentes e perigosas. Existem pessoas que têm a língua como uma lâmina cortante e que a usam para ferir, para machucar, para maldizer e para ofender. Nós devemos usar a nossa língua para bendizer as pessoas! Para abençoá-las, para elogiá-las! E se você realmente não tem nada de bom para dizer para alguém, então fique calado! Pessoas que não se policiam ao falar, são detestadas, odiadas e não são bem-vindas onde vão. Por que sabe o que acontece na   verdade?  É que todo mundo vê e percebe pessoas maledicentes e fofoqueiras.

Uma coisa que acontece muito nessa era da internet: algumas pessoas se escondem por de trás de uma tela de computador e usam suas palavras para atacar e ferir as outras. Acreditando não serem descobertas. Ledo engano! Hoje já se consegue-se sim, e graças a Deus, descobrir alguém que se esconde através de uma tela de computador para cometer crimes de injúria, calunia, ofensa ou difamação!

A bíblia fala sobre as palavras em inúmeros versículos, e chama a nossa atenção para nos policiar a respeito disso:

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem.” Efésios 4.29.

“O que guarda a sua boca, conserva a sua alma, mas o que muito abre os lábios tem perturbação.” Prov. 13.3

“Até o tolo, quando se cala, será reputado por sábio; e o que cerrar os seus lábios, por sábio.” Prov.17.28.

A resposta calma desvia o furor, mas a palavra dura, suscita a ira. Prov.15.1

De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim. Tiago.10.3.

Nas palavras da boca do sábio, há favor, mas os lábios do tolo o devoram. Eclesiastes 10.12.

O hipócrita, com a boca danifica o seu próximo, mas os justos são libertados pelo conhecimento. Provérbios 11.9.

Os lábios do justo sabem o que agrada, mas a boca dos ímpios anda cheia de perversidades.  Prov.10.32

Os lábios do tolo entram na contenda, e a sua boca brada por açoites. Prov. 18:6

A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira. Prov. 15.1.

A morte e a vida estão no poder da língua, e aquele que a ama, comerá de seu fruto. Prov.18.21

O homem bom, do bom tesouro do seu coração, tira o bem, e o homem mau, do mau tesouro do seu coração, tira o mal, porque da abundância do seu coração fala a boca. Lucas 6: 45

Então é isso gente! São inúmeros versículos, eu li alguns para vocês. E eu encerro esse áudio, falando para vocês aqui o seguinte: nós não podemos nos esquecer que tudo o que fazemos vai e volta para nós! E isso não é crendice não. É uma lei universal e verdadeira. Basta fazer é esperar para ver os resultados. PALAVRAS SÃO SEMENTES, QUE UMA VEZ INSERIDAS NO SOLO, COMEÇAM A GERMINAR.  Então CUIDE DE SUAS PALAVRAS! Se por acaso, algum dia, plantou alguma semente ruim, tente destruir essa semente! Não a regue! Peça perdão e tente fazer diferente de agora em diante!

Se você tem plantado sementes benditas, regue-as, dia após dia! E espere a bonita colheita!

Plante sempre a semente do bem! E a sua vida com certeza será de paz!

Além desse áudio O poder das palavras na vida das pessoas,  assista também ao primeiro vídeo O Poder das palavras ! Isso o ajudará a entender a força que existe naquilo que você diz! Visite o canal da página no YouTube: Pausa Para Aquecer o Coração e veja!

Leia também sobre o amor próprio! Acesse em: 

https://pausaparaaquecerocoracao.com/2019/05/17/como-me-amar-da-maneira-que-eu-sou-em-um-mundo-que-dita-padroes-fisicos-comportamentais-e-espirituais/

Escrito por Hérica Rodrigues

 

 

Reflexões para o ano que se inicia- 2020

Reflexões para o ano que se inicia- 2020. A vida é um caminhar!  Enquanto estamos aqui, buscamos diariamente chegar a um destino. Mas, o que realmente importa, é o caminho, pois nunca, nunca saberemos ao certo quando se encerrará essa trajetória, ou quando e se chegaremos a nossa jornada.

Nossa vida é como um sopro. Vamos embora e tudo se esvai! Não há importância alguma! A vida humana é curta. A bíblia a compara como uma flor que se abre vigorosa, mas que logo murcha, seca e vai-se como a sombra que passa e não dura por muito tempo. O que vale mesmo é o quanto estamos elevando o nosso espírito, o nosso crescimento como pessoa e como seres humanos! O que vale realmente a pena, é aproveitarmos ao máximo cada segundo de nossa existência! É darmos valor a nossa vida!

Então aproveite essa jornada que se inicia para você nesse novo ano que está nascendo! Caminhe bastante! E sempre tire proveito de cada esquina, de cada curva e de cada estrada!  Continue seguindo o seu destino, porém sem bagagens desnecessárias! E continue o caminho! Retire de sua mala, o ódio, a vingança, a arrogância, o sentimento de culpa, de superioridade, retire os julgamentos, retire as fofocas!  Não leve Brigas, grosserias e ansiedades! Essas atitudes apenas o impedem de ver o que a vida tem de melhor, e o afasta daquelas pessoas que realmente valem a pena em sua vida!

Se precisar, descanse de vez em quando!E depois, prossiga o caminho! Não dê ouvidos as más-línguas!  Relaxe! Liberte-se da necessidade de agradar ou impressionar aos outros! Viva!

Faça a sua bagagem leve! Pois, um dia iremos embora! Sua vida está passando; ainda que você não queira ver!

Deixe a ansiedade, deixe o estresse, deixe a correria…

Em um piscar de olhos, partimos desse mundo e logo somos substituídos, somos esquecidos…

Faça o seu melhor hoje!

Viva o seu melhor a cada dia! Ame mais! Se conheça um pouco melhor! Medite! Relaxe!

Curta os momentos simples! Desfrute daqueles que ama! Ria muito! Perdoe sempre! Não se perca em meio as picuinhas, não se perca em meio a inveja!

Contemple a natureza! Curta o seu animalzinho! Aprecie o pôr-do-sol! Corra na praia! Pise na grama! Ande descanso no mar!

Trabalhe naquilo que gosta!

Dance!

Aproveite os amigos! Beije seus filhos!

Respeite e ame aos seus pais! Perdoe-os! Você não sabe a história deles! Ame-os!

Abrace as pessoas!

Aprenda com as dores, com as decepções! Aprenda com os erros! Aprenda até mesmo com a ingratidão!

Desvie das maldades, da inveja e das injustiças!

Aprenda sempre! A vida é um grande aprendizado! Aprenda com as lágrimas! Aprenda com as dores! No final o que vale é o aprendizado que levamos em nosso coração!

Sorria! Diga bom dia! Olhe nos olhos! Peça perdão! Tente de novo! Recomece sempre! 

Aproveite a vida! Aproveite os momentos!

Deixe sua marca no mundo!

Marque o coração das pessoas com a luz de sua alma!

Nunca desista! Você está vivo! Todos os dias o sol nasce, ainda que as nuvens o encubram. Por isso, siga sempre em frente!

Saiba o que realmente importa!

E lembre-se:

 A vida é uma viagem!

Feliz 2020!

Além desse artigo “Reflexões para o ano que se inicia- 2020”, saiba também como encontrar a paz interior. Visite: https://pausaparaaquecerocoracao.com/2019/06/08/como-trazer-a-paz-de-espirito-para-meu-interior/

Texto de autoria de Hérica Rodrigues

Natal- Uma mensagem para reflexão

Natal- Uma mensagem para reflexão. O natal chegou trazendo com ele lembranças… Lembranças da infância, de momentos alegres e do confraternizar…

Época que nos mostra a importância de praticarmos o amor ao próximo…

Que nos instiga a olhar para os lados e ver o outro.

Época de reflexão sobre como foi a nossa vida, o nosso ano, as nossas relações, enfim…

É momento que pensamos em plantar diferente. O ano termina e o nosso coração se esperança colher algo melhor…

Época de praticarmos o amor, a gratidão, a fé e a esperança! Esperança de um dia feliz!

As luzes por todos os lados iluminam os olhos, aquecem o coração e enchem a alma de alegria e bem-estar…

Natal, nascimento Cristo, luz, vida e salvação!

Natal do grande JESUS! Natal do compartilhar, do amar; do Cristo e da compaixão.

A Saudade dos tempos em que éramos crianças, invade o nosso peito.

As luzes piscando, nos lembra o verdadeiro sentido do natal…

O amor verdadeiro, amor incondicional, amor de Cristo.

Natal época de Luz!

Natal do Menino Jesus!

Que não deixemos o amor morrer!

Que não nos esqueçamos do compartilhar!

Vivemos o natal ontem e, como um piscar de olhos, eis o natal novamente para nos mostrar a brevidade do tempo, o passar da vida… a verdadeira importância da existência… a gratidão por vivermos e por estarmos aqui.

Natal de luz! Natal do Grande Menino Jesus!

Não deixe a compaixão morrer em seu coração!

Pratique a caridade!

Pratique-a enquanto existires na Terra!

Olhe as pessoas nos olhos!

Julgue menos!

Veja-se no lugar do outro!

Que o seu coração seja tardio no falar, esteja pronto para ouvir e tardio no irar-se! Pois, assim a sua alma encontrará a paz e a sabedoria!

Não deixe a luz de seus olhos se apagarem!

Não permita que seu coração se esfrie no decorrer dos problemas ou desafios diários!

Jamais esqueça de amar a sua família!

Honre aos seus pais!

Cuide de seus filhos!

Diga obrigada! Me perdoe!

Diga eu te amo!

Limpe seus medos!

Libere seus traumas!

Dê-se uma nova chance!

Esse é o verdadeiro sentido do natal.

Que o espírito natalino esteja em seu coração, não apenas nesse dia, mas  em todos os dias da sua vida!

Siga sempre o caminho da luz!

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz. (Isaias 9.6).

Além desse vídeo, Natal – Uma mensagem para reflexão, talvez você possa gostar de outros. Acesse também “Oração para os momentos difíceis” em: https://pausaparaaquecerocoracao.com/2019/06/18/oracao-para-esperanca-e-iluminacao-nos-momentos-dificeis/

Adquira o meu E-book gratuito ” As Chaves da Autoestima em: https://pausaparaaquecerocoracao.com/e-book-gratis-as-chaves-da-autoestima/

Visite o canal Pausa Para Aquecer o Coração no Youtube e tenha acesso a inúmeros outros vídeos sobre Comportamento, Desenvolvimento Pessoal e Expansão da Consciência.

Texto de autoria de Hérica Rodriguess

FILME DESAFIANDO GIGANTES – drama motivacional com enfoque na fé

Filme Desafiando Gigantes – drama motivacional com enfoque na fé. Uma história realmente muito bonita! Com um uma mensagem maravilhosa, nos encoraja a acreditar naquilo que queremos. Apesar de ser um filme com um teor religioso, é perfeito para todos os públicos, visto que a mensagem principal dele é: a coragem, a fé, a determinação, a ousadia e a persistência diante das situações desafiadores que possam surgir no decorrer da vida.

A história relata a vida de Grant Taylor, um treinador de futebol americano de uma High School dos Estados Unidos da América, que por estar passando por grandes provações, vê a sua vida cheia de desafios e obstáculos nas diversas áreas. A sua esposa deseja muito ter um bebê. Porém, quando Grant descobre que não pode ter filhos, por ter um problema genético, ele se senti um fracassado e, por isso, a sua  autoestima se torna altamente abalada. Além disso,  enfrenta dificuldades financeiras. O carro quebra e, para piorar a situação, sua carreira de treinador fica por um “fio”.  O time que ele treina passa por uma série derrotas. Ele enfrenta uma temporada de fracassos sucessivos, o que o faz ser visto pelos seus diretores como um perdedor, um profissional ruim e um fracassado. Isso faz com que os seus superiores e também os pais dos garotos do time, cogitem a sua demissão e a sua possível substituição. Grant é tido como um treinador medíocre que não apresenta resultados. Sendo ele o responsável pela decadência e fracasso da equipe.

Então quando tudo parece perdido, ele decide buscar uma resposta em Deus. E decide mudar toda a sua estratégia de trabalho e treino. Passa a desafiar os “gigantes” de sua vida. Ou seja, ele passa a dizer sim para ele, sim para as oportunidades, sim para as possibilidades, sim para as tentativas e principalmente para fé. Então decide treinar melhor os garotos, encorajá-los, motivá-los e levar uma palavra de fé. Assim, aos poucos, consegue reverter a história de sua vida.

“Suas ações sempre seguem suas crenças!”

“ Se você aceita a derrota é isso que vai conseguir.”

( Frases do filme)

Assista e surpreenda-se!

Os gigantes da vida de Grant Taylor eram a dificuldades financeiras, as pessoas o culpando pelo fracasso do time, o problema que o impossibilitava de ser pai, a maledicência de algumas pessoas, o carro quebrado, o medo do fracasso, o medo da demissão e a covardia.

Interessante observar nesse filme que Taylor foi vencendo um a um desses gigantes com várias atitudes diárias de persistência e determinação e, todas  suas ações tiveram como  base maior, a SUA FÉ.

A dúvida é o contrário da fé. E a fé é independente de lógica. A FÉ NÃO PRECISA DE LÓGICA! No entanto, é na ausência de lógica que os milagres acontecem.

Hérica Rodrigues

Além dessa resenha, Filme Desafiando Gigantes – drama motivacional com enfoque na fé, talvez você possa gostar de outros artigos sobre filmes e livros aqui do blog.

Acesse resenha de filmes em: https://pausaparaaquecerocoracao.com/?s=filmes Resenha de livros em: https://pausaparaaquecerocoracao.com/?s=livro

Resenha escrita por Hérica Rodrigues

INSPIRE-SE COM A HISTÓRIA DE LOUISE HAY

Inspire-se com a história de Louise Hay! Veja agora uma das histórias de vida mais lindas quando se trata de superação! Ao mesmo tempo em que é triste, tem um desfecho emocionante! Apesar desse artigo ser maravilhoso, é bem mais longo que os outros artigos aqui do blog, visto que contém o depoimento da própria Louise, retirado de um de seus livros. Sendo assim, faça como os vencedores, deixe o desejo de aprender superar o desanimo e leia até o final! Vamos lá!

Louise Hay foi uma das mais importantes e influenciadoras motivacionais. Escreveu vários livros. A base de suas obras são a metafísica da saúde, o poder da mente e a física quântica. Ela Nasceu em uma família pobre e teve uma infância bastante difícil. Quando ela tinha apenas 18 meses de idade os pais se divorciaram.  A escritora conta que  a mãe trabalhava como empregada doméstica, dormia no trabalho e precisou deixá-la com outras pessoas.

Com o passar dos tempos, sua mãe se casou novamente com um homem  bruto e, isso gerou para Louise a convivência em um lar repleto de violência. Aos 5 anos de idade, ela sofreu abusos sexuais de um vizinho velho e bêbado. Esse homem foi julgado por esse crime que cometeu contra ela e condenado a 15 anos de prisão. Segundo relatos da própria autora, o exame médico e o julgamento do caso, perduraram em sua mente por toda a vida. E incrivelmente algumas pessoas a culparam pelo fato de o homem abusador ter sido condenado. Por causa disso ela passou muitos anos de sua vida com medo de um que um dia o abusador pudesse se libertar da cadeia e fazer algo de mal a ela. Além dos abusos sexuais, ela também sofreu abusos físicos e teve que trabalhar durante a infância. Todos esses sofrimentos fizeram com que a autoimagem dela se tornasse muito negativa.

“As coisas pareciam não darem certo para mim. Então Passei a expressar esse padrão no mundo exterior.”

Louise Hay

A infância de muita pobreza e escassez, colaborou para que Louise formasse em sua mente a ideia de não merecimento e de que ela era indigna de receber bençãos da vida. Ela gerou essa crença. E esse padrão mental, claramente relacionado com o sentimento de culpa e baixa autoestima que ela associava a si, contribuía para gerar mais situações de escassez.

Aos 15 anos de idade, devido aos abusos frequentes que sofria, resolveu fugir de casa e da escola. Foi trabalhar como garçonete. A princípio isso lhe pareceu mais fácil do que a vida que ela tinha em casa.  Devido a toda a sua carência emocional, sentimento de menos valia e baixa autoestima, se  relacionava com qualquer tipo de homem, desde que fossem gentil com ela. Então, aos 16 anos engravidou e logo que a criança nasceu, devido as dificuldades que passava, se viu obrigada a dar a criança para uma família amorosa e que queria muito adotar.

Logo depois , foi ao encontro de sua mãe que sofria violência do marido e, a ajudou a sair da casa onde era vítima de muitos maus-tratos. Porém, a irmã dela, com apenas 10 anos de idade na época, não foi com sua mãe, mas permaneceu na casa com o padrasto de Louise.

Louise sofreu violência por  parte dos relacionamentos que tinha. Eram homens que a
maltratavam e que frequentemente a agrediam.

De acordo com o relato da própria Louise Hay, ela nunca experimentou as alegrias da maternidade. Ela sentia dentro de si, sentimentos de perda, culpa, vergonha, desvalor e de baixa autoestima. E isso estava associado ás memórias de dor de todos os abusos que sofreu.

Com o passar do tempo, Louise se tornou uma modelo da alta costura e se destacou em seu trabalho. Isso contribuiu para que a autoestima dela melhorasse, mas não a ponto dela se amar verdadeiramente. Apesar de todo o sucesso profissional que fazia, sempre encontrava um jeito de  se autossabotar, de não se valorizar, pois não conseguia enxergar a sua verdadeira beleza.

Os anos passaram e Louise finalmente casou-se com um maravilhoso e culto cavalheiro inglês! Eles juntos viajaram pelo mundo. No entanto, apesar de ser uma modelo de sucesso e de ter um homem formidável ao lado dela, a  autoestima continuou baixa por muito tempo. E ao completar 14 anos de casamento, o marido anunciou para ela que desejava viver com outra mulher. Louise se sentiu arrasada e destruída. O que é absolutamente normal para qualquer pessoa nessas situações.

Com o passar dos tempos, Louise entrou em contato com a metafísica e a cura alternativa e, a partir daí, tornou-se maravilhada com esses estudos. Ela dedicava muito do seu tempo nisso. Começou a frequentar a Igreja da Ciência Religiosa e 3 anos depois tornou-se uma conselheira. Nessa mesma época, aprendeu a Meditação Transcendental. Então resolveu entrar na Universidade Internacional Maharishi, no Estado de Lowa, para fazer um curso de seis meses, o que foi para ela uma ótima escolha.

E ao terminar a universidade, logo recomeçou a  vida.  fez o curso de treinamento de ministros de sua denominação e se  tornou muito ativa no seu trabalho e nas suas atividades sociais.

Pelo trabalho metafísico que fazia, teve a inspiração de escrever um pequeno livro  chamado CURE O SEU CORPO, ( o livro era uma lista de causas metafísicas para doenças do corpo). Depois da publicação, passou a viajar para dar palestras e pequenos cursos. O tempo passou e  um dia, Louise recebe o diagnóstico médico de que estava com câncer. Todo o passado da escritora onde foi uma criança maltratada e que incluiu um estupro ao cinco anos de idade, a fez desenvolver um câncer na área vaginal.  Entrou em desespero. Porém, por causa do trabalho com os clientes, ela sabia que a cura mental funcionava e viu a oportunidade de comprová-la nela mesma. Ela sabia que o câncer é uma doença causada por um profundo ressentimento que é abrigado por um longo tempo, até que ele (o câncer), como disse Louise: “literalmente começa a comer o corpo.” Mas, mesmo sabendo de tudo isso ela não queria  dissolver toda a raiva e ressentimento que tinha  da infância sofrida e das pessoas que abusaram e maltrataram ela. No entanto, viu que não podia mais perder tempo e que precisa se curar.

Louise dizia:  “A palavra incurável, que é tão assustadora para muitos, significa para mim que essa condição em particular não pode ser curada por meios externos e que precisamos ir para o interior e encontrar a cura. Se eu fizesse uma operação sem me livrar dos padrões mentais que haviam dado origem à doença, os médicos continuariam cortando Louise até não restar mais nada dela.Se eu fosse operada para retirar o tecido canceroso e ao mesmo tempo desprendesse o padrão mental que estava causando o câncer, ele não voltaria mais. Quando esse mal ou qualquer outra doença volta, creio que não é porque “eles não tiraram tudo”, mas sim porque o paciente não fez mudanças mentais. Assim: ele só recria a mesma enfermidade, talvez numa parte diferente do corpo. Eu também acreditava que, se conseguisse me livrar do padrão mental que criara o câncer, nem mesmo precisaria da operação.

Então Louise convenceu os médicos para que lhe dessem algum tempo antes de fazer a operação que eles queriam que ela fizesse, e assim, conseguiu que eles lhe dessem  três meses de prazo.

Leia agora abaixo o depoimento da própria Louise: “Assumi a responsabilidade pela minha própria cura. Li e investiguei tudo o que pude encontrar sobre métodos alternativos que poderiam me ajudar no processo. Fui a várias lojas de produtos naturais e comprei todos os livros que tinham sobre o câncer. Procurei a biblioteca pública e li mais ainda. Informei-me sobre a reflexologia nas solas dos pés e a terapia do cólon e achei que ambas seriam benéficas para mim. Eu parecia estar sendo levada para as pessoas certas. Depois de ler sobre a reflexologia, interessei-me em encontrar um terapeuta. Nessa ocasião, fui a uma palestra e, apesar de sempre procurar me sentar nas primeiras filas, naquela noite senti-me compelida a ficar no fundo da plateia. Pouco depois um homem veio sentar-se ao meu lado e – adivinhe só. Ele era um reflexologista que atendia na casa dos clientes. Fui tratada três vezes por semana durante dois meses e recebi uma grande ajuda. Eu sabia também que precisava me amar muito mais. Muito pouco amor fora demonstrado em minha infância e ninguém jamais me ensinara a me sentir bem comigo mesma. Eu adotara as atitudes dos meus familiares, que estavam sempre implicando comigo e me criticando, e elas haviam se tornado uma segunda natureza para mim. Através do meu trabalho na igreja eu me conscientizara de que era certo e até essencial eu me amar e me aprovar. No entanto, ficava adiando – exatamente como acontece com aquela dieta que sempre dizemos que vamos começar amanhã. Porém, não dava mais para eu procrastinar. De início foi muito difícil ficar diante do espelho e dizer coisas como: “Louise, eu te amo. Amo de verdade”. Todavia, persistindo, descobri que eu não estava mais me diminuindo em certas situações como fazia no passado, o que me mostrou que eu estava progredindo com o exercício do espelho e outros. O mais importante era eu me livrar dos padrões de ressentimento que abrigava desde a infância. Era imperativo para mim desprender do meu interior todas as acusações. Sim, eu tivera uma infância difícil, cheia de maus-tratos sexuais, físicos e mentais. No entanto, isso acontecera havia muito tempo e não podia ser desculpa para o modo como eu estava me tratando. Afinal, eu estava literalmente comendo meu corpo com um crescimento canceroso, porque não havia perdoado. Chegara a hora de eu ir além dos incidentes em si e começar a compreender que tipo de experiências poderiam ter criado pessoas capazes de tratar uma criança daquela maneira.

Com a ajuda de um bom terapeuta, expressei toda a velha e represada raiva, socando almofadas e gritando de ódio, o que me fez sentir muito mais limpa. Em seguida, comecei a juntar os pedacinhos de histórias que meus pais haviam me contado sobre suas infâncias e consegui ver um
quadro maior de suas vidas. Com minha compreensão cada vez mais crescente e analisando-os de um ponto de vista adulto, comecei a sentir compaixão pelo sofrimento dos dois e a culpa que eu atirava neles foi se dissolvendo vagarosamente
. Junto com tudo isso, procurei um bom nutricionista para me auxiliar na limpeza e desintoxicação de meu corpo, prejudicado por todas as comidas inadequadas que eu ingerira ao longo dos anos. Aprendi que elas se acumulam e criam um corpo cheio de toxinas, tal como os pensamentos inadequados se acumulam e criam uma mente intoxicada. Foi-me recomendada uma dieta muito rígida, constituída quase que só de hortaliças. No primeiro mês, fiz lavagens intestinais três vezes por semana. Não fui operada. Como resultado dessa completa limpeza física e mental, seis meses depois de ter ouvido o diagnóstico, consegui que os médicos concordassem com o que eu já sabia – eu não tinha mais nem um sinal de câncer! A essa altura, eu sabia por experiência própria que a doença pode ser curada se estamos dispostos a mudar o modo como pensamos, acreditamos e agimos!
As vezes o que parece ser uma grande tragédia, se transforma no melhor de nossas vidas
!Aprendi isso por experiência própria e passei a valorizar a vida de uma nova maneira. Comecei a procurar o que era realmente importante para mim e acabei tomando a decisão de deixar a cidade sem árvores de Nova York e seu clima marcado pelos extremos. Alguns de meus clientes afirmaram que “morreriam” se eu os abandonassem, mas garanti-lhes que voltaria duas vezes por ano para me certificar dos seus progressos e lembrei-lhes que o telefone encurta distâncias. Assim, fechei meu consultório e fiz uma longa e tranquila viagem de trem até a Califórnia, pois decidira recomeçar tudo de novo em Los Angeles.
Embora eu tivesse nascido em Los Angeles muitos anos antes, não conhecia quase ninguém na cidade, exceto minha mãe e minha irmã, que agora moravam na periferia da cidade, a cerca de uma hora do centro. Nunca havíamos sido uma família unida, mas mesmo assim tive uma surpresa muito desagradável ao saber que minha mãe estava cega havia alguns anos e ninguém se dera ao trabalho de me avisar. Minha irmã estava “ocupada demais” para me receber, de modo que não me preocupei em vê-la e comecei a cuidar de minha própria vida.
Meu livro Cure o Seu Corpo me abriu muitas portas. Passei a frequentar todo tipo de reunião New Age que podia encontrar. Eu me apresentava e, quando sentia que era adequado, dava uma cópia do meu livro. Nos primeiros meses fui bastante à praia, sabendo que quando ficasse mais ocupada, haveria pouco tempo para o lazer. Pouco a pouco os clientes foram aparecendo. Recebi convites para falar aqui e ali, e tudo foi se ajeitando enquanto Los Angeles me dava boas-vindas. Cerca de dois anos depois, pude me mudar para uma linda casa.
Meu novo estilo de vida em Los Angeles não tinha nada de parecido com o que eu levara na minha infância. De fato, tudo corria perfeitamente. Como nossas vidas podem mudar por completo em relativamente pouco tempo!
Uma noite recebi um telefonema de minha irmã, o primeiro em dois anos. Ela me contou que nossa mãe, agora com 90 anos, cega e quase surda, caíra e fraturara a coluna. Num instante, minha mãe, que era uma mulher forte e independente apesar da idade, transformara-se numa criança indefesa, passando por grande sofrimento.
O acidente, como tudo na vida, teve seu lado bom, pois serviu para romper a parede de segredos que havia em torno de minha irmã. Finalmente estávamos todas começando a nos comunicar. Descobri que minha irmã também sofria de um grave problema de coluna que a impedia de sentar e andar direito e lhe causava muitas dores. Ela sofria em silêncio e, apesar de estar abatidíssima, seu marido não tinha conhecimento de sua doença.
Depois de passar um mês internada num hospital, minha mãe recebeu alta. Como de maneira alguma poderia mais cuidar de si mesma, veio morar comigo.
Apesar de confiar no processo da vida, eu não sabia como iria lidar com a situação, de modo que me liguei com Deus e disse: “Certo, vou cuidar dela, mas você tem de me ajudar e precisa me arrumar o dinheiro necessário!”
O período de ajustamento foi difícil para nós duas. Minha mãe chegou num sábado. Na sexta-feira seguinte eu teria de ir a San Francisco, onde ficaria quatro dias. Eu não podia deixá-la sozinha, nem desistir do compromisso. Mais uma vez me voltei para Deus e falei: “Deus, você vai ter de cuidar disto. Preciso encontrar a pessoa certa para nos ajudar antes de viajar”. Na quinta-feira seguinte, a pessoa perfeita havia “aparecido” e já estava instalada, com a incumbência de organizar a casa para mim e minha mãe. Foi outra confirmação de uma de minhas crenças básicas:

“O que preciso saber me é revelado e tudo o que necessito vem a mim na Divina ordem correta”.

 Percebi que era hora de aula para mim de novo. Surgira a oportunidade de limpar muito daquele lixo de minha infância.
Minha mãe não fora capaz de me proteger quando eu era criança, mas agora eu podia e ia cuidar dela. Começou toda uma nova aventura para mim, envolvendo minha mãe e minha irmã. Dar à minha irmã o auxílio que ela pedia, era um outro desafio. Fiquei sabendo que quando eu salvara minha mãe, tantos anos atrás, meu padrasto descontara toda a sua fúria e sofrimento em minha irmã, e chegara a vez dela de ser brutalizada. Percebi que o que começara nela como um problema físico, fora enormemente exagerado pelo medo e tensão, junto com a crença de que não havia ninguém para ajudá-la. E então Louise entrou em cena, não querendo ser uma salvadora, mas mesmo assim desejando dar à irmã a oportunidade de escolher o bem-estar a essa altura de sua vida. Pouco a pouco todos os acontecimentos do passado foram se deslindando e o progresso ainda continua. Vamos progredindo passo a passo e me esforço para proporcionar uma atmosfera de segurança enquanto exploramos as várias vias alternativas de cura. Minha mãe, por sua vez, reage muito bem. Ela se exercita o melhor possível quatro vezes ao dia e seu corpo está ficando mais forte e flexível. Comprei-lhe um aparelho auditivo e ela tornou-se mais interessada na vida. Apesar de sua crença nos princípios da Ciência Cristã, persuadi-a a submeter-se a uma operação para a retirada da catarata de um olho. Foi uma enorme alegria para ela poder ver de novo. E nós também ficamos alegres por poder ver o mundo através dos olhos dela. Sua grande satisfação foi conseguir ler de novo. Minha mãe e eu começamos a encontrar tempo para conversarmos como nunca antes e uma nova compreensão surgiu entre nós. Atualmente, estamos ambas mais livres porque choramos e rimos juntas. Devo dizer que às vezes ela me irrita, o que serve para me dizer que tenho outras coisas para libertar do meu interior.
Meu trabalho continua num ritmo sempre crescente. O número de funcionários que trabalham comigo aumentou sob a direção do meu gerente de pessoal, Charlie Gehrke. Agora temos um Centro com cursos e um programa para internos.
É assim que está minha vida atualmente, no outono de 1984.


Na infinidade da vida onde estou, tudo é Perfeito, pleno e completo.
Cada um de nós, eu inclusive, experimenta a riqueza e plenitude da vida de maneiras para nós significativas.
Agora olho para o passado com amor e escolho aprender com as velhas experiências.
Não existe nem o certo nem o errado, nem o bem nem o mal.
O passado está terminado.

Existe apenas a experiência do momento.
Eu me amo por ter me trazido por entre esse passado até o presente.
Compartilho o que e quem sou, pois sei que somos um só em espírito.
Tudo está bem em meu mundo.

Louise Hay

Além dessa biografia: “Inspire-se com a história de Louise Hay “, leia também a história de Abraham Lincoln. Acesse em: https://pausaparaaquecerocoracao.com/2019/10/13/abraham-lincoln-uma-historia-de-superacao-dos-inumeros-fracassos-ao-sucesso/

Resenha feita por Hérica Rodriguess ( Esse depoimento de Louise Hay foi retirado do livro dela: “Você Pode Curar a Sua vida”. 8 edição. Quarta parte – capítulo 16 – Minha história )

Open chat
Powered by