sobre mim

sobre mim

Sei que todos os seres humanos estão aqui no planeta Terra para serem felizes. Tudo o que fazemos é em busca de nos sentirmos bem, no entanto, estamos constantemente, envolvidos com atividades e coisas que não são suficientes para alcançar esse bem-estar que tanto desejamos. Fazemos isso, muitas vezes, de forma automática. Na correria diária, não nos damos conta da nossa falha. Na grande maioria das vezes, são influências externas do mundo em que vivemos. A nossa alma é como um jardim! E para que tenha vida e floresça, necessita de cuidado e atenção! É interessante parar para cuidar com carinho dos nossos sentimentos! O mundo externo refletirá o eu interior de cada um! Sejam muito bem-vindos!

E-BOOK 100% GRÁTIS

últimas postagens

FILME DESAFIANDO GIGANTES – drama motivacional com enfoque na fé

Filme Desafiando Gigantes – drama motivacional com enfoque na fé. Uma história realmente muito bonita! Com um uma mensagem maravilhosa, nos encoraja a acreditar naquilo que queremos. Apesar de ser um filme com um teor religioso, é perfeito para todos os públicos, visto que a mensagem principal dele é: a coragem, a fé, a determinação, a ousadia e a persistência diante das situações desafiadores que possam surgir no decorrer da vida.

A história relata a vida de Grant Taylor, um treinador de futebol americano de uma High School dos Estados Unidos da América, que por estar passando por grandes provações, vê a sua vida cheia de desafios e obstáculos nas diversas áreas. A sua esposa deseja muito ter um bebê. Porém, quando Grant descobre que não pode ter filhos, por ter um problema genético, ele se senti um fracassado e, por isso, a sua  autoestima se torna altamente abalada. Além disso,  enfrenta dificuldades financeiras. O carro quebra e, para piorar a situação, sua carreira de treinador fica por um “fio”.  O time que ele treina passa por uma série derrotas. Ele enfrenta uma temporada de fracassos sucessivos, o que o faz ser visto pelos seus diretores como um perdedor, um profissional ruim e um fracassado. Isso faz com que os seus superiores e também os pais dos garotos do time, cogitem a sua demissão e a sua possível substituição. Grant é tido como um treinador medíocre que não apresenta resultados. Sendo ele o responsável pela decadência e fracasso da equipe.

Então quando tudo parece perdido, ele decide buscar uma resposta em Deus. E decide mudar toda a sua estratégia de trabalho e treino. Passa a desafiar os “gigantes” de sua vida. Ou seja, ele passa a dizer sim para ele, sim para as oportunidades, sim para as possibilidades, sim para as tentativas e principalmente para fé. Então decide treinar melhor os garotos, encorajá-los, motivá-los e levar uma palavra de fé. Assim, aos poucos, consegue reverter a história de sua vida.

“Suas ações sempre seguem suas crenças!”

“ Se você aceita a derrota é isso que vai conseguir.”

( Frases do filme)

Assista e surpreenda-se!

Os gigantes da vida de Grant Taylor eram a dificuldades financeiras, as pessoas o culpando pelo fracasso do time, o problema que o impossibilitava de ser pai, a maledicência de algumas pessoas, o carro quebrado, o medo do fracasso, o medo da demissão e a covardia.

Interessante observar nesse filme que Taylor foi vencendo um a um desses gigantes com várias atitudes diárias de persistência e determinação e, todas  suas ações tiveram como  base maior, a SUA FÉ.

A dúvida é o contrário da fé. E a fé é independente de lógica. A FÉ NÃO PRECISA DE LÓGICA! No entanto, é na ausência de lógica que os milagres acontecem.

Hérica Rodrigues

Além dessa resenha, Filme Desafiando Gigantes – drama motivacional com enfoque na fé, talvez você possa gostar de outros artigos sobre filmes e livros aqui do blog.

Acesse resenha de filmes em: https://pausaparaaquecerocoracao.com/?s=filmes Resenha de livros em: https://pausaparaaquecerocoracao.com/?s=livro

Resenha escrita por Hérica Rodrigues

INSPIRE-SE COM A HISTÓRIA DE LOUISE HAY

Inspire-se com a história de Louise Hay! Veja agora uma das histórias de vida mais lindas quando se trata de superação! Ao mesmo tempo em que é triste, tem um desfecho emocionante! Apesar desse artigo ser maravilhoso, é bem mais longo que os outros artigos aqui do blog, visto que contém o depoimento da própria Louise, retirado de um de seus livros. Sendo assim, faça como os vencedores, deixe o desejo de aprender superar o desanimo e leia até o final! Vamos lá!

Louise Hay foi uma das mais importantes e influenciadoras motivacionais. Escreveu vários livros. A base de suas obras são a metafísica da saúde, o poder da mente e a física quântica. Ela Nasceu em uma família pobre e teve uma infância bastante difícil. Quando ela tinha apenas 18 meses de idade os pais se divorciaram.  A escritora conta que  a mãe trabalhava como empregada doméstica, dormia no trabalho e precisou deixá-la com outras pessoas.

Com o passar dos tempos, sua mãe se casou novamente com um homem  bruto e, isso gerou para Louise a convivência em um lar repleto de violência. Aos 5 anos de idade, ela sofreu abusos sexuais de um vizinho velho e bêbado. Esse homem foi julgado por esse crime que cometeu contra ela e condenado a 15 anos de prisão. Segundo relatos da própria autora, o exame médico e o julgamento do caso, perduraram em sua mente por toda a vida. E incrivelmente algumas pessoas a culparam pelo fato de o homem abusador ter sido condenado. Por causa disso ela passou muitos anos de sua vida com medo de um que um dia o abusador pudesse se libertar da cadeia e fazer algo de mal a ela. Além dos abusos sexuais, ela também sofreu abusos físicos e teve que trabalhar durante a infância. Todos esses sofrimentos fizeram com que a autoimagem dela se tornasse muito negativa.

“As coisas pareciam não darem certo para mim. Então Passei a expressar esse padrão no mundo exterior.”

Louise Hay

A infância de muita pobreza e escassez, colaborou para que Louise formasse em sua mente a ideia de não merecimento e de que ela era indigna de receber bençãos da vida. Ela gerou essa crença. E esse padrão mental, claramente relacionado com o sentimento de culpa e baixa autoestima que ela associava a si, contribuía para gerar mais situações de escassez.

Aos 15 anos de idade, devido aos abusos frequentes que sofria, resolveu fugir de casa e da escola. Foi trabalhar como garçonete. A princípio isso lhe pareceu mais fácil do que a vida que ela tinha em casa.  Devido a toda a sua carência emocional, sentimento de menos valia e baixa autoestima, se  relacionava com qualquer tipo de homem, desde que fossem gentil com ela. Então, aos 16 anos engravidou e logo que a criança nasceu, devido as dificuldades que passava, se viu obrigada a dar a criança para uma família amorosa e que queria muito adotar.

Logo depois , foi ao encontro de sua mãe que sofria violência do marido e, a ajudou a sair da casa onde era vítima de muitos maus-tratos. Porém, a irmã dela, com apenas 10 anos de idade na época, não foi com sua mãe, mas permaneceu na casa com o padrasto de Louise.

Louise sofreu violência por  parte dos relacionamentos que tinha. Eram homens que a
maltratavam e que frequentemente a agrediam.

De acordo com o relato da própria Louise Hay, ela nunca experimentou as alegrias da maternidade. Ela sentia dentro de si, sentimentos de perda, culpa, vergonha, desvalor e de baixa autoestima. E isso estava associado ás memórias de dor de todos os abusos que sofreu.

Com o passar do tempo, Louise se tornou uma modelo da alta costura e se destacou em seu trabalho. Isso contribuiu para que a autoestima dela melhorasse, mas não a ponto dela se amar verdadeiramente. Apesar de todo o sucesso profissional que fazia, sempre encontrava um jeito de  se autossabotar, de não se valorizar, pois não conseguia enxergar a sua verdadeira beleza.

Os anos passaram e Louise finalmente casou-se com um maravilhoso e culto cavalheiro inglês! Eles juntos viajaram pelo mundo. No entanto, apesar de ser uma modelo de sucesso e de ter um homem formidável ao lado dela, a  autoestima continuou baixa por muito tempo. E ao completar 14 anos de casamento, o marido anunciou para ela que desejava viver com outra mulher. Louise se sentiu arrasada e destruída. O que é absolutamente normal para qualquer pessoa nessas situações.

Com o passar dos tempos, Louise entrou em contato com a metafísica e a cura alternativa e, a partir daí, tornou-se maravilhada com esses estudos. Ela dedicava muito do seu tempo nisso. Começou a frequentar a Igreja da Ciência Religiosa e 3 anos depois tornou-se uma conselheira. Nessa mesma época, aprendeu a Meditação Transcendental. Então resolveu entrar na Universidade Internacional Maharishi, no Estado de Lowa, para fazer um curso de seis meses, o que foi para ela uma ótima escolha.

E ao terminar a universidade, logo recomeçou a  vida.  fez o curso de treinamento de ministros de sua denominação e se  tornou muito ativa no seu trabalho e nas suas atividades sociais.

Pelo trabalho metafísico que fazia, teve a inspiração de escrever um pequeno livro  chamado CURE O SEU CORPO, ( o livro era uma lista de causas metafísicas para doenças do corpo). Depois da publicação, passou a viajar para dar palestras e pequenos cursos. O tempo passou e  um dia, Louise recebe o diagnóstico médico de que estava com câncer. Todo o passado da escritora onde foi uma criança maltratada e que incluiu um estupro ao cinco anos de idade, a fez desenvolver um câncer na área vaginal.  Entrou em desespero. Porém, por causa do trabalho com os clientes, ela sabia que a cura mental funcionava e viu a oportunidade de comprová-la nela mesma. Ela sabia que o câncer é uma doença causada por um profundo ressentimento que é abrigado por um longo tempo, até que ele (o câncer), como disse Louise: “literalmente começa a comer o corpo.” Mas, mesmo sabendo de tudo isso ela não queria  dissolver toda a raiva e ressentimento que tinha  da infância sofrida e das pessoas que abusaram e maltrataram ela. No entanto, viu que não podia mais perder tempo e que precisa se curar.

Louise dizia:  “A palavra incurável, que é tão assustadora para muitos, significa para mim que essa condição em particular não pode ser curada por meios externos e que precisamos ir para o interior e encontrar a cura. Se eu fizesse uma operação sem me livrar dos padrões mentais que haviam dado origem à doença, os médicos continuariam cortando Louise até não restar mais nada dela.Se eu fosse operada para retirar o tecido canceroso e ao mesmo tempo desprendesse o padrão mental que estava causando o câncer, ele não voltaria mais. Quando esse mal ou qualquer outra doença volta, creio que não é porque “eles não tiraram tudo”, mas sim porque o paciente não fez mudanças mentais. Assim: ele só recria a mesma enfermidade, talvez numa parte diferente do corpo. Eu também acreditava que, se conseguisse me livrar do padrão mental que criara o câncer, nem mesmo precisaria da operação.

Então Louise convenceu os médicos para que lhe dessem algum tempo antes de fazer a operação que eles queriam que ela fizesse, e assim, conseguiu que eles lhe dessem  três meses de prazo.

Leia agora abaixo o depoimento da própria Louise: “Assumi a responsabilidade pela minha própria cura. Li e investiguei tudo o que pude encontrar sobre métodos alternativos que poderiam me ajudar no processo. Fui a várias lojas de produtos naturais e comprei todos os livros que tinham sobre o câncer. Procurei a biblioteca pública e li mais ainda. Informei-me sobre a reflexologia nas solas dos pés e a terapia do cólon e achei que ambas seriam benéficas para mim. Eu parecia estar sendo levada para as pessoas certas. Depois de ler sobre a reflexologia, interessei-me em encontrar um terapeuta. Nessa ocasião, fui a uma palestra e, apesar de sempre procurar me sentar nas primeiras filas, naquela noite senti-me compelida a ficar no fundo da plateia. Pouco depois um homem veio sentar-se ao meu lado e – adivinhe só. Ele era um reflexologista que atendia na casa dos clientes. Fui tratada três vezes por semana durante dois meses e recebi uma grande ajuda. Eu sabia também que precisava me amar muito mais. Muito pouco amor fora demonstrado em minha infância e ninguém jamais me ensinara a me sentir bem comigo mesma. Eu adotara as atitudes dos meus familiares, que estavam sempre implicando comigo e me criticando, e elas haviam se tornado uma segunda natureza para mim. Através do meu trabalho na igreja eu me conscientizara de que era certo e até essencial eu me amar e me aprovar. No entanto, ficava adiando – exatamente como acontece com aquela dieta que sempre dizemos que vamos começar amanhã. Porém, não dava mais para eu procrastinar. De início foi muito difícil ficar diante do espelho e dizer coisas como: “Louise, eu te amo. Amo de verdade”. Todavia, persistindo, descobri que eu não estava mais me diminuindo em certas situações como fazia no passado, o que me mostrou que eu estava progredindo com o exercício do espelho e outros. O mais importante era eu me livrar dos padrões de ressentimento que abrigava desde a infância. Era imperativo para mim desprender do meu interior todas as acusações. Sim, eu tivera uma infância difícil, cheia de maus-tratos sexuais, físicos e mentais. No entanto, isso acontecera havia muito tempo e não podia ser desculpa para o modo como eu estava me tratando. Afinal, eu estava literalmente comendo meu corpo com um crescimento canceroso, porque não havia perdoado. Chegara a hora de eu ir além dos incidentes em si e começar a compreender que tipo de experiências poderiam ter criado pessoas capazes de tratar uma criança daquela maneira.

Com a ajuda de um bom terapeuta, expressei toda a velha e represada raiva, socando almofadas e gritando de ódio, o que me fez sentir muito mais limpa. Em seguida, comecei a juntar os pedacinhos de histórias que meus pais haviam me contado sobre suas infâncias e consegui ver um
quadro maior de suas vidas. Com minha compreensão cada vez mais crescente e analisando-os de um ponto de vista adulto, comecei a sentir compaixão pelo sofrimento dos dois e a culpa que eu atirava neles foi se dissolvendo vagarosamente
. Junto com tudo isso, procurei um bom nutricionista para me auxiliar na limpeza e desintoxicação de meu corpo, prejudicado por todas as comidas inadequadas que eu ingerira ao longo dos anos. Aprendi que elas se acumulam e criam um corpo cheio de toxinas, tal como os pensamentos inadequados se acumulam e criam uma mente intoxicada. Foi-me recomendada uma dieta muito rígida, constituída quase que só de hortaliças. No primeiro mês, fiz lavagens intestinais três vezes por semana. Não fui operada. Como resultado dessa completa limpeza física e mental, seis meses depois de ter ouvido o diagnóstico, consegui que os médicos concordassem com o que eu já sabia – eu não tinha mais nem um sinal de câncer! A essa altura, eu sabia por experiência própria que a doença pode ser curada se estamos dispostos a mudar o modo como pensamos, acreditamos e agimos!
As vezes o que parece ser uma grande tragédia, se transforma no melhor de nossas vidas
!Aprendi isso por experiência própria e passei a valorizar a vida de uma nova maneira. Comecei a procurar o que era realmente importante para mim e acabei tomando a decisão de deixar a cidade sem árvores de Nova York e seu clima marcado pelos extremos. Alguns de meus clientes afirmaram que “morreriam” se eu os abandonassem, mas garanti-lhes que voltaria duas vezes por ano para me certificar dos seus progressos e lembrei-lhes que o telefone encurta distâncias. Assim, fechei meu consultório e fiz uma longa e tranquila viagem de trem até a Califórnia, pois decidira recomeçar tudo de novo em Los Angeles.
Embora eu tivesse nascido em Los Angeles muitos anos antes, não conhecia quase ninguém na cidade, exceto minha mãe e minha irmã, que agora moravam na periferia da cidade, a cerca de uma hora do centro. Nunca havíamos sido uma família unida, mas mesmo assim tive uma surpresa muito desagradável ao saber que minha mãe estava cega havia alguns anos e ninguém se dera ao trabalho de me avisar. Minha irmã estava “ocupada demais” para me receber, de modo que não me preocupei em vê-la e comecei a cuidar de minha própria vida.
Meu livro Cure o Seu Corpo me abriu muitas portas. Passei a frequentar todo tipo de reunião New Age que podia encontrar. Eu me apresentava e, quando sentia que era adequado, dava uma cópia do meu livro. Nos primeiros meses fui bastante à praia, sabendo que quando ficasse mais ocupada, haveria pouco tempo para o lazer. Pouco a pouco os clientes foram aparecendo. Recebi convites para falar aqui e ali, e tudo foi se ajeitando enquanto Los Angeles me dava boas-vindas. Cerca de dois anos depois, pude me mudar para uma linda casa.
Meu novo estilo de vida em Los Angeles não tinha nada de parecido com o que eu levara na minha infância. De fato, tudo corria perfeitamente. Como nossas vidas podem mudar por completo em relativamente pouco tempo!
Uma noite recebi um telefonema de minha irmã, o primeiro em dois anos. Ela me contou que nossa mãe, agora com 90 anos, cega e quase surda, caíra e fraturara a coluna. Num instante, minha mãe, que era uma mulher forte e independente apesar da idade, transformara-se numa criança indefesa, passando por grande sofrimento.
O acidente, como tudo na vida, teve seu lado bom, pois serviu para romper a parede de segredos que havia em torno de minha irmã. Finalmente estávamos todas começando a nos comunicar. Descobri que minha irmã também sofria de um grave problema de coluna que a impedia de sentar e andar direito e lhe causava muitas dores. Ela sofria em silêncio e, apesar de estar abatidíssima, seu marido não tinha conhecimento de sua doença.
Depois de passar um mês internada num hospital, minha mãe recebeu alta. Como de maneira alguma poderia mais cuidar de si mesma, veio morar comigo.
Apesar de confiar no processo da vida, eu não sabia como iria lidar com a situação, de modo que me liguei com Deus e disse: “Certo, vou cuidar dela, mas você tem de me ajudar e precisa me arrumar o dinheiro necessário!”
O período de ajustamento foi difícil para nós duas. Minha mãe chegou num sábado. Na sexta-feira seguinte eu teria de ir a San Francisco, onde ficaria quatro dias. Eu não podia deixá-la sozinha, nem desistir do compromisso. Mais uma vez me voltei para Deus e falei: “Deus, você vai ter de cuidar disto. Preciso encontrar a pessoa certa para nos ajudar antes de viajar”. Na quinta-feira seguinte, a pessoa perfeita havia “aparecido” e já estava instalada, com a incumbência de organizar a casa para mim e minha mãe. Foi outra confirmação de uma de minhas crenças básicas:

“O que preciso saber me é revelado e tudo o que necessito vem a mim na Divina ordem correta”.

 Percebi que era hora de aula para mim de novo. Surgira a oportunidade de limpar muito daquele lixo de minha infância.
Minha mãe não fora capaz de me proteger quando eu era criança, mas agora eu podia e ia cuidar dela. Começou toda uma nova aventura para mim, envolvendo minha mãe e minha irmã. Dar à minha irmã o auxílio que ela pedia, era um outro desafio. Fiquei sabendo que quando eu salvara minha mãe, tantos anos atrás, meu padrasto descontara toda a sua fúria e sofrimento em minha irmã, e chegara a vez dela de ser brutalizada. Percebi que o que começara nela como um problema físico, fora enormemente exagerado pelo medo e tensão, junto com a crença de que não havia ninguém para ajudá-la. E então Louise entrou em cena, não querendo ser uma salvadora, mas mesmo assim desejando dar à irmã a oportunidade de escolher o bem-estar a essa altura de sua vida. Pouco a pouco todos os acontecimentos do passado foram se deslindando e o progresso ainda continua. Vamos progredindo passo a passo e me esforço para proporcionar uma atmosfera de segurança enquanto exploramos as várias vias alternativas de cura. Minha mãe, por sua vez, reage muito bem. Ela se exercita o melhor possível quatro vezes ao dia e seu corpo está ficando mais forte e flexível. Comprei-lhe um aparelho auditivo e ela tornou-se mais interessada na vida. Apesar de sua crença nos princípios da Ciência Cristã, persuadi-a a submeter-se a uma operação para a retirada da catarata de um olho. Foi uma enorme alegria para ela poder ver de novo. E nós também ficamos alegres por poder ver o mundo através dos olhos dela. Sua grande satisfação foi conseguir ler de novo. Minha mãe e eu começamos a encontrar tempo para conversarmos como nunca antes e uma nova compreensão surgiu entre nós. Atualmente, estamos ambas mais livres porque choramos e rimos juntas. Devo dizer que às vezes ela me irrita, o que serve para me dizer que tenho outras coisas para libertar do meu interior.
Meu trabalho continua num ritmo sempre crescente. O número de funcionários que trabalham comigo aumentou sob a direção do meu gerente de pessoal, Charlie Gehrke. Agora temos um Centro com cursos e um programa para internos.
É assim que está minha vida atualmente, no outono de 1984.


Na infinidade da vida onde estou, tudo é Perfeito, pleno e completo.
Cada um de nós, eu inclusive, experimenta a riqueza e plenitude da vida de maneiras para nós significativas.
Agora olho para o passado com amor e escolho aprender com as velhas experiências.
Não existe nem o certo nem o errado, nem o bem nem o mal.
O passado está terminado.

Existe apenas a experiência do momento.
Eu me amo por ter me trazido por entre esse passado até o presente.
Compartilho o que e quem sou, pois sei que somos um só em espírito.
Tudo está bem em meu mundo.

Louise Hay

Além dessa biografia: “Inspire-se com a história de Louise Hay “, leia também a história de Abraham Lincoln. Acesse em: https://pausaparaaquecerocoracao.com/2019/10/13/abraham-lincoln-uma-historia-de-superacao-dos-inumeros-fracassos-ao-sucesso/

Resenha feita por Hérica Rodriguess ( Esse depoimento de Louise Hay foi retirado do livro dela: “Você Pode Curar a Sua vida”. 8 edição. Quarta parte – capítulo 16 – Minha história )

DIFERENÇAS ENTRE EMOÇÕES E SENTIMENTOS

Diferenças entre emoções e sentimentos. Emoções são estados mentais. São circuitos neurológicos que alteram todo o nosso organismo, devido nossa interação em um ambiente, ou devido a algum estímulo interno. Estão relacionadas ao nosso sistema de proteção. SÃO ESSENCIAIS PARA NOS PRESERVAR!

As emoções podem nos tirar do nosso controle e equilíbrio constantemente. Por exemplo, se você está caminhando na rua e de repente dá de cara com um cachorro bravo que vem correndo em sua direção, você não irá pensar se deve ou não se proteger. O seu instinto de proteção e  de preservação da vida vai ser acionado imediatamente. Nesse caso, o MEDO. Os seus batimentos cardíacos irão acelerar, as suas pernas ficarão bambas, suores serão liberados e você provavelmente irá sair o mais rápido possível dali. Isso acontece, porque o cérebro nesse momento libera os hormônios do cortisol e da adrenalina, acionando o estado de apreensão e de alerta de perigo, para que você se proteja e REAJA. É uma reação rápida e natural para AÇÃO IMEDIATA. As emoções provocam alterações em todo o corpo. São comportamentos necessários, automáticos e incontroláveis. Diante de um perigo, você não pensa, mas agi.  Você corre, grita, pede socorro, etc.

Lembranças também podem provocar uma reação emocional. Se você lembra de algo passado por exemplo, pode sentir emoções boas ou ruins. E isso depende do que aconteceu com você, se positivo ou negativo.

AS EMOÇÕES também têm a função de direcionar o nosso comportamento tendo a intenção de que nós nos adaptemos á algum ambiente e nos protegemos de outros. Hum!  Então as emoções seriam uma espécie de tentativa de nosso cérebro de nos proteger? Exatamente. Emoções são necessárias para gerar ações e atitudes que irão nos preservar fisicamente e emocionalmente.

As emoções são inconscientes e reativas. Ou seja, são liberadas no momento em que acontece algo externo ou internamente e a partir daí, gera em nós determinado tipo de  comportamento e atitude.  

SENTIMENTOS

Já os sentimentos são exatamente a percepção da emoção. Quando eu paro e percebo: “NOSSA QUE RAIVA EU ESTOU DESSA SITUAÇÃO”! Então, nesse momento eu tomei consciência, criei percepções mentais daquilo que ocorreu e que está acontecendo dentro de mim. A partir daí virou o sentimento. O sentimento é a percepção da emoção.

SENTIMENTOS são registros das emoções. As emoções deixam em nós uma marca e, isso chamamos de sentimentos. Por exemplo: ao vivenciar um momento importante para você, o seu cérebro registra e capta a emoção do fato. E depois, mais tarde quando você se deparar com algo que te lembra áquela situação ( um cheiro, uma imagem, uma música, etc), você poderá ter sentimentos bons ou ruins e, isso depende da emoção que você associou quando viveu aquele momento. É mais ou menos assim: se você vivenciou algo desagradável e resolveu na hora, então beleza! É provável que não sinta incomodo ao se lembrar posteriormente. Mas, se pelo contrário não resolveu, é muito, mas muito provável que ao se lembrar, você se sentirá mal novamente, como se ainda estivesse vivenciando aquela experiência passada. Da mesma maneira, se você experimentou algo de bom, ao se lembrar no presente, esses sentimentos serão agradáveis.  Tudo vai depender da emoção associada ao momento vivenciado.

As emoções são mais rápidas e momentâneas, inconscientes, imperceptíveis e até mesmo incontroláveis.  Os sentimentos são perceptíveis, conscientes e duradouros. O sentimento envolve as suas memórias, as suas lembranças, suas ideias, planos e projetos. Ou seja, você sempre tem consciência deles.

Caso se interesse, assista ao vídeo – Para que sentimentos as emoções “negativas”? Veja em https://www.youtube.com/watch?v=GwJd2NorrrY

Talvez além desse artigo Diferenças entre Emoções e sentimentos, você também goste de outros artigos aqui no blog. Acesse: https://pausaparaaquecerocoracao.com/2019/06/05/liberte-se-do-sentimento-de-culpa/

Texto de autoria de Hérica Rodriguess

Abraham Lincoln – uma história de superação

Abraham Lincoln – uma história de superação. Hoje resolvi trazer  uma parte dessa  emocionante biografia. Caso você esteja se sentindo meio desanimado (a), sem motivação, ou sem ânimo para continuar na persistência para realizar seus objetivos, preste bastante atenção nesse artigo abaixo:

Abraham Lincoln, um dos maiores nomes da história. Foi presidente dos Estados Unidos e fez a diferença no mundo. Dotado de grande senso de humanidade, lutou pela democracia e pela emancipação dos escravos. Apesar de ter sido um dos mais fascinantes presidentes dos Estados Unidos da América e, de te lutado pela igualdade de direitos, colecionou perdas e fracassos de se admirar!

As inúmeras derrotas de Lincoln, caso ele não tivesse quase uma obsessiva força para vencer e realizar o seu desejo, teria feito com que ele desistisse dos seus objetivos muito antes de alcançar a grandiosa vitória. Ele enfrentou todas as dificuldades e transformou os obstáculos em oportunidades. Claro que também teve realizações e conquistas ao longo de sua história, mas sem sobras de dúvidas, a lista de fracassos é grande o suficiente para levar qualquer um que não tivesse fé  e  também plena força interior, á desistir.

A infância de Abraham Lincoln

Lincoln foi um garoto de família pobre, filho de camponeses e analfabetos. Teve que trabalhar desde de cedo para ajudar no sustento da família. O dinheiro de um filho, naquele tempo, desde da infância até os 21 anos de idade deveria ser entregue ao pai. Ele não gostava disso, achava que era uma espécie de escravidão. Perdeu sua mãe ainda pequeno, aos 9 anos de idade.

Abraham não teve condições de frequentar assidualmente a escola, porém, ele lia muitos livros que conseguia emprestado. Ele foi considerado um autodidata.

A vida adulta de Abraham Lincoln

Já na sua vida adulta, exerceu vários tipos de trabalhos, de lenhador a comerciante.

Ele chegou a se candidatar em uma faculdade de Direito, porém o rejeitaram. Sendo assim, não desistiu e passou a estudar por conta própria e, mais tarde se tornou advogado.

Em 1832 foi derrotado na legislatura para o Congresso e também perdeu o emprego. Em 1833 ele montou um negócio com dinheiro emprestado, porém o negócio falhou e ele ficou apenas com as dívidas.

Em 1834 entrou para a política, e elegeu-se deputado da assembleia de Illinois.  Em 1835 perdeu a noiva, que veio a falecer.

 Posteriormente, em 1836 ele sofreu um colapso nervoso que o deixou impossibilitado por 6 meses.

Em 1838 concorreu a presidente da câmara e foi derrotado.

Em 1840 tentou uma vaga no colégio eleitoral e não conseguiu se eleger.

Em 1843 foi derrotado novamente em sua concorrência para o congresso.

A fé é o único antídoto conhecido para o fracasso.

Napoleon Hill

Então em 1846  Abraham Lincoln concorreu novamente ao congresso e conseguiu se eleger, porém, enfrentou sérias dificuldades, tendo em vista que apresentou um projeto para abolição da escravatura. Isso causou grande rejeição popular.  Nesse projeto ele propunha a emancipação de forma gradativa para os escravos, de forma que esses tornariam livres, porém, não poderiam votar e nem tinham direitos a casamentos inter-raciais. Dessa maneira desagradou tanto aqueles que eram abolicionistas, quanto aos defensores da escravidão.

Lincoln sempre lutou em favor das pessoas pobres.

Quando pratico o bem, sinto-me bem; quando pratico o mal, sinto-me mal. Eis a minha religião.

Abraham Lincoln

As derrotas continuavam, mas Lincoln não desistia

Em 1848 ele teve a sua renomeação perdida.

Em 1849 foi rejeitado para Oficial de Terras.

Em 1854 ele tentou se tornar senador e novamente foi derrotado.

Em 1956 não conseguiu a nomeação para vice-presidente.

Em 1858 foi novamente derrotado Pelo Senado.

E apenas em 1960, Abraham Lincoln conseguiu a realização de seu desejo. Ele tornou-se presidente dos Estados Unidos da América.

O campo da derrota não está povoado de fracassos, mas de homens que tombaram antes de vencer.

Abraham Lincoln

Além dessa biografia de Abraham Lincoln – uma história de superação, talvez você possa gostar de outro artigo aqui no blog! Acesse: https://pausaparaaquecerocoracao.com/2019/09/21/a-forca-do-verdadeiro-querer-e-do-desejar/

Acesse outras páginas no blog:

https://pausaparaaquecerocoracao.com

Escrito por Hérica Rodrigues

Inspire-se com biografias de pessoas de sucesso!

Inspire-se com biografias de pessoas de sucesso! Essa é uma categoria que procurarei trazer histórias inspiradoras de pessoas que fizeram a diferença e mudaram suas vidas.

Você sabia que ler biografias é uma das excelentes maneiras de nos motivarmos? O nosso cérebro armazena em seu subconsciente tudo aquilo que vemos, ouvimos, sentimos, lemos, enfim… E o resultado disso é: todas as informações são armazenadas ao longo de nossas vidas e, mais cedo ou mais tarde, acaba por influenciar em nossas atitudes e comportamentos. Incrível não é? Mas, é assim mesmo que as coisas funcionam. Então vamos enchê-lo somente de coisas positivas e inspiradoras!

Que tal saber um pouco mais sobre vida de pessoas como nós, que atingiram grandes vitórias? A tendência quando olhamos as pessoas vitoriosas, bem sucedidas e que alcançaram grandes realizações, é acharmos que os caminhos que elas trilharam, foram fáceis e  livres de obstáculos. Algumas pessoas chegam a dizer que elas são diferenciadas, agraciadas por Deus e cheias de sorte. Mas, a verdade é que elas são pessoas que enfrentaram dificuldades, barreiras, obstáculos e muitas delas ouviram diversos nãos. Muitas vezes passaram pela desmotivação, pelo desdém, pela dúvida e pelo subestimar alheio. Outras passaram por uma doença, uma violência, um abuso, enfim…

” Sorte é estar pronto quando a oportunidade vem.”

Oprah Winfrey

São diversas histórias de pessoas diferentes entre homens e mulheres. Mas, o que têm em comum em suas biografias, é que todas elas acreditaram em seus sonhos e não desistiram. Elas ajustaram os seus caminhos, ressignificaram experiências, aprenderam o que precisam, se esforçaram, acreditaram em si e em seus sonhos, se perdoaram, perdoaram aos outros, continuaram e, o mais importante: NUNCA DESISTIRAM! E claro, por consequência, atingiram os seus objetivos! Obtiveram sucesso, saúde, prosperidade e qualidade vida nas diversas áreas que almejavam.

Pessoas fortes se formam durante os desafios e momentos difíceis! Os sonhos se pegam com as mãos! O destino se enfrenta cara a cara e a história de nossa vida é escrita por nós!
Hérica Rodriguess

Veja as biografias que abordarei aqui no blog em artigos separados:

Abraham Lincoln

Arnold Schwarzenegger

Oprah Winfrey

Louse Hay

Albert Einstein

Harisson Ford

Charlie Chaplin

Bill Gates

Henry Ford

Jim Carry

Thomas Edison

Way Disney

Stiven Spielber

Vicent Van Gogh

Cris Gardner

Marcos Trombetta

E muitos outros…

Então fique de olho! Sempre trarei uma biografia para que você possa se inspirar e se motivar.

Leia também aqui no blog sobre sonhos e desejos! Visite: https://pausaparaaquecerocoracao.com/2019/04/01/qual-e-o-valor-do-seu-sonho/

https://pausaparaaquecerocoracao.com/2019/09/21/a-forca-do-verdadeiro-querer-e-do-desejar/

Hérica Rodriguess

A FORÇA DO VERDADEIRO QUERER E DO DESEJAR

A força do verdadeiro querer e do desejar para se alcançar o que sonhamos. Hoje eu quero falar a respeito de duas palavras, que talvez possam parecer antônimas, mas que quando usadas juntas, nos trazem grandes realizações. Uma é o sonho e a outra é ação. A palavra sonho pode parecer algo ilusório e abstrato. Enquanto que a ação é mais real e concreta.  Mas, o fato  é  que  quando finalmente as compreendemos, elas são como mágica em nossas vidas. Elas nos conduzem aos resultados de que tanto almejamos.

Creio eu que todos os seres humanos desse planeta, querem conquistar algo, ( um trabalho melhor, bons relacionamentos, mais saúde, dinheiro, um corpo físico mais interessante, uma profissão, carreira, status, enfim…) Independente do que cada pessoa esteja buscando, todos possuem sonhos, projetos, vontades de conquistas e realizações. Mas, faz -se necessário aqui um esclarecimento: existe uma distância significativa entre sonhar e desejar. Sonhar em conquistar algo, todo mundo sonha, agora desejar é algo mais profundo, mais intenso e mais forte. Quando apenas se sonha ou se quer alguma coisa, sem que esteja inserido nela o desejo real, isso se torna algo abstrato. Já quando se sonha desejando ardentemente, nasce uma vontade forte que o desperta e o move para ação.

É o desejo que nos impulsiona na direção dos nossos objetivos e  dos nossos sonhos. Quando se deseja algo com todo o seu coração, não se mede esforços, não se importa em pagar o preço, em ir a luta, em disciplinar-se e, abrir mão de prazeres por certo tempo, para se conseguir a tão sonhada realização.

O desejo nos faz traçar estratégias, dividir etapas, cumpri-las  uma após a outra, custe o que custar. O desejo nos faz mudar o percurso, contornar obstáculos, quebrar barreiras. Podemos até descansar as vezes, mas JAMAIS PARAR! O desejo é chama que nos mantêm vivos e motivados. É o desejo que nos dá forças para levantar da cama todos os dias, mesmo naqueles momentos de dificuldades, onde as circunstâncias são adversas. É o SONHO ATRELADO AO DESEJO que nos guia para a AÇÃO, que nos conduzirá aos resultados.

Muitas pessoas não realizam os seus sonhos, porque deixam que eles fiquem apenas na parte fantasiosa, na mente, e não os automotivam para a ação, para atitudes concretas, para o fazer acontecer.

 E outras pessoas, tomam atitudes iniciais, mas por não desejarem ardentemente, ao se depararem com as dificuldades e barreiras, tendem a pararem, a desistirem, a entregarem os pontos e por consequência a fracassarem.

É o movimento, o deslocar-se e o arregaçar das mangas que tirará o sonho do abstrato e o levará para o concreto.

Então, trabalhe em você para descobrir aquilo o que você realmente deseja. Qual é o seu desejo de alma? Onde queima verdadeiramente o seu coração? Quando você descobrir, tenho a mais absoluta certeza que não irá desistir na primeira esquina, ou diante dos obstáculos. Certamente irá quebrar as barreiras que precisar, subir as montanhas que necessitar, refazer todos os caminhos que precisar. E SOMENTE DESCANSARÁ no momento em que ver todo o seu desejo realizado!

Motive-se diariamente! Como? Tenha Sonhos, tenha desejos e caminhe pelas estradas da ação! E com certeza irá viver bastante! Sonhos trazem motivações para viver! E Ações movimentam a vida!

Além desse artigo “A força do verdadeiro querer e do desejar”, talvez você possa se interessar por outros artigos aqui no blog. Veja: https://pausaparaaquecerocoracao.com/?s=qual+o+valor+do+seu+sonho

Escrito por Hérica Rodriguess

Beijar e Chorar – filme de drama baseado em fatos reais

Beijar e Chorar é um filme de drama baseado em fatos reais, que narra a vida de Carley Allison. Uma garota canadense de 17 anos, cantora e patinadora. Não posso deixar de dizer aqui que é uma história triste e, ao mesmo tempo em que também é romântica. Porém, essa história vai muito além do que uma garota com uma doença grave que vive um amor romantizado pelas telinhas. Esse é sem sombras de dúvidas, um filme de grande magnitude e beleza que nos traz grandes aprendizados e grandes lições! Eu  realmente não poderia deixar de trazer a resenha desse filme.

Carley era uma menina linda, cheia de vida e de projetos. Estava se preparando como patinadora para se tornar uma grande profissional. Durante esse período, ela conhece John, um rapaz alegre, bonito e divertido. Uma forte conexão entre eles, faz com que logo se tornem namorados. Eles vivem lindos momentos! Mas, de repente, a vida surpreende Carley. Ela é diagnosticada com um tipo raro de câncer, (apenas 1 pessoa em 3 bilhões e meio no planeta) fora atingida por essa doença antes. A doença a atingiu na traqueia.

“Sempre encontre uma razão para ser feliz, e se não pode, sorria mesmo assim.”

Mas, o que realmente nos comove e nos chama a atenção nesse filme, é a forma que Carley decidiu encarar a doença e a vida dela diante desse acontecimento.

“ Eu olhei para isso por uma perspectiva diferente”.

Ela nos deixa várias lições e vários aprendizados. A alegria que ela conduziu a própria vida, mesmo diante da barra que enfrentou, nos leva a refletir a respeito de nossas próprias posturas diante dos desafios da vida.  Ela escolheu ser feliz independente das circunstâncias que se apresentaram para ela. Encontrou razões para se alegrar e para sorrir, mesmo diante da dor. Carley escolheu viver, sentir e valorizar os momentos. Ela escolheu agradecer! Escolheu amar! Carley ESCOLHEU VIVER!

“Continue voltando, não importa quais sejam os resultados.”

“A vida é cheia de momentos em que você pode escolher sorrir ou não sorrir. Todos nós podemos fazer a escolha. Eu escolho sorrir. Esse é o meu triunfo!” Carley Allison

Talvez, além dessa resenha ( Beijar e Chorar – filme de drama), você goste de outras aqui no blog. Acesse: https://pausaparaaquecerocoracao.com/?s=filme

Resenha feita por Hérica Rodrigues

FILME DE COMÉDIA – A SOGRA

Filme de comédia – A sogra. Hoje resolvi sair um pouco dos gêneros de filmes apresentados aqui no blog. Como sabemos, sempre utilizo filmes com teores motivacionais. Na grande maioria das vezes de dramas, biográficos ou baseados em fatos reais. No entanto, hoje pretendo falar de uma comédia, o que não deixa de ser indiretamente uma forma de motivação, visto que o fato de vermos coisas engraçadas e divertidas, ativam os neurotransmissores cerebrais, como a serotonina por exemplo.

A serotonina é responsável pela sensação de prazer. E a boa notícia é que podemos estimulá-la naturalmente. Então pegue a pipoca e vamos lá para o sofá assistir essa divertida comédia!

A sogra – uma comédia que tem como protagonista Jennifer Lopes ( Charlotte) uma linda mulher, pobre e um pouco desajeitada que vive trocando de empregos.

Um belo dia, um médico rico e bonitão, interpretado por Michael Vartan (Kevin)  a vê em uma praia e apaixona-se por ela. Então, Charlotte que sempre sonhou com um relacionamento maravilhoso, vê seu sonho se realizar. Os dois se apaixonam e a relação caminha para o desejo do casamento. Mas, o problema é que a mãe do rapaz não fica nada satisfeita com isso.

A grande e maléfica vilã interpretada pela atriz  Jane Fonda, a sogra  (Viola), mãe do médico, é uma rica, esnobe e preconceituosa apresentadora de TV. Ela é uma mulher de meia-idade que quase morreu ao ser demitida de um programa de televisão.  Viola, se torna uma grande “ pedra no sapato” de Charlotte.

Quando Kevin leva Charlotte à sua mansão e a apresenta como sua namorada,  Viola fica louca da vida e começa a mexer os “pauzinhos” para atrapalhar a relação dos dois. E a situação piora muito, quando ele fala para a mãe que pretende se casar. A mãe dele não aceita de jeito nenhum e, a partir daí começam as incontáveis e engraçadas brigas entre sogra e nora.

Talvez você possa gostar da resenha de outros filmes feitas aqui no blog. Além do filme de comédia – A sogra. Temos outras resenhas. Acesse: https://pausaparaaquecerocoracao.com/?s=filme

Resenha feita por Hérica Rodrigues

Filme uma razão para vencer- uma história real de amizade e superação.

RESENHA DO FILME UMA RAZÃO PARA VENCER – uma história real de grande amizade e superação. Mas, antes de adentrarmos á resenha do filme propriamente dita, gostaria de chamar a atenção para que procuremos assistir filmes com um teor motivacional, principalmente aqueles que são baseados em fatos reais, biográficos e com histórias de superação! O subconsciente armazena tudo aquilo que capta através dos sentidos. E com a visão e audição não é diferente. Os filmes têm boa influência nisso também. Mesmo que você não perceba de imediato, isso lhe ajudará posteriormente, quando você precisar tomar decisões. E funciona da mesma maneira para histórias negativas. Então, agora que você já sabe disso, use e abuse de histórias com teores positivos! Boa leitura!

Essa é uma história emocionante baseada em fatos reais. O drama tem como foco principal amizade e superação. Narra a história de Caroline ( “Line” seu apelido) e sua amiga Kelley. São duas amigas adolescentes que iniciam uma linda, forte e verdadeira amizade na infância. A história se passa no ano de 2010.

 Tudo começa com a morte de Caroline. Durante o início de sua vida, apenas com 17 anos, ela sofre um terrível acidente de moto que interrompe todos os seus sonhos. Durante a época escolar, as duas amigas, sempre muito unidas, têm bons momentos juntas.
As adolescentes fazem parte de um time de volleyball. Com a morte de Line, a capitã do grupo, a equipe se vê desanimada.  

Diante de tamanha perda, Kelley, amiga inseparável de Line, se torna muito triste e desmotivada. Movida por grande dor e por um enorme sentimento de culpa, não deseja continuar, porém, a sua relutância em não se deixar vencer, se torna mais forte. Então, ela decide dar continuidade a luta e a disputa da equipe. Essa atitude de Kelley, claro muito motivada pela técnica do grupo, desperta toda a equipe a não se entregar á tristeza e ao fracasso. Então, mesmo diante da dor e das saudades, as outras garotas do time, começam uma constante superação e perseguição para alcançar a vitória. Inicia-se aí, uma rotina constante de treinamentos, foco e determinação.

O interessante é que durante a trajetória do filme, percebemos que todo o time de Volleyball, é motivado por Kelley. O foco maior é a vitória da equipe.  Desta forma, as adolescentes são desafiadas a disputarem vários campeonatos e vencerem um a um.

Mesmo em meio a dor da perda, elas prosseguem até o fim, com o objetivo principal de homenagear Caroline, por sua força, alegria e luta enquanto vivia. As garotas, acima de tudo,  desejavam aprender a viver como Line vivia, sempre  valorizando a vida.

O filme mostra ainda, a maneira que o pai de Caroline encontrou para lidar com a dor. Ele encontrou na ressignificação e na transmutação, forças para conduzir a sua vida, apesar dessa terrível perda.

Uma razão para vencer, nos apresenta uma história emocionante de superação, força, ressignificação, transmutação,  Luta, aprendizado, amizade e vitória.

Além do Filme uma razão para vencer -uma história real de amizade e superação, talvez você possa gostar da resenha de outros filmes aqui no blog. Visite: https://pausaparaaquecerocoracao.com/category/filmes/

Resenha feita por Hérica Rodrigues

PROCRASTINAÇÃO UM AUTOBOICOTE SILENCIOSO

PROCRASTINAÇÃO – um autoboicote silencioso. Deixar para depois uma tarefa, uma atitude, uma ação que sabe ser necessária ou importante em algum quesito da vida. E as vezes, na esperança de que em algum momento posterior, a coragem irá nos invadir de modo repentino. Então, em um passe de mágica, seremos envolvidos por um estímulo que nos levará a ação, em uma hora mais oportuna!  Não é de se admirar que esse dia tão esperado nunca chegue e, nem nada surpreendente que os sonhos, projetos e objetivos ficarão bem guardados nas gavetas, mantidos pela palavra procrastinação! Palavra essa, gerada e alimentada pela autossabotagem.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a procrastinação não é simplesmente uma questão de falta de foco, disciplina ou até mesmo preguiça. Aparentemente, associamos a procrastinação a tais adjetivos cheios de cargas negativas. Porém, há muito mais além de nossa consciência a respeito disso, do que se pode imaginar! E é sobre a grande parte do nosso subconsciente que estou falando. Isso vai muito além do que simplesmente a pontinha do iceberg que é a nossa consciência. Embora tenhamos consciência de não desejarmos realizar uma atividade e de adiá-la em um número incansável de vezes, o impulso que nos leva a agir dessa maneira, muitas vezes está relacionado com pensamentos inconscientes. Sendo assim, quando tomamos a decisão de deixar de fazer algo que consideramos chato, enfadonho e difícil, MAS, que poderia levar a realização e satisfação a longo prazo, para fazer algo mais prazeroso, que nos permitiria desfrutar benefícios imediatos, estamos nos sabotando. Vamos deixando para depois e postergando com tanta frequência, que se torna mais um autoboicote, do que um simples “deixa para depois”.  Algumas frases passam a fazer parte do repertório corriqueiro, como por exemplo: “  Amanhã eu faço.” ! Farei quando eu estiver melhor preparado.” “Segunda-feira eu começo.” “O mês que vem eu inicio.” E por aí vai.

Apesar de a procrastinação poder  acontecer as vezes, simplesmente por não gostar de executar determinado tipo de atividade, deve-se manter atento ao fato de que, uma vez se manifeste constantemente em sua vida e se estiver principalmente ligada a algo que você precisa e gostaria de mudar, mas que não faz devido a tais postergações, provavelmente são os seus pensamentos mais inconscientes que estão trabalhando. Por exemplo: Medo de não dar conta, sentimento de baixa autoestima, insegurança, ansiedade, falta de merecimento, sentimento de culpa, etc. Dessa forma o seu cérebro entra em ação gerando constantes pensamentos de eventuais fracassos e falhas. E aqui é que entra a questão da autossabotagem.

Veja bem, mesmo que a nível consciente, se queira muito o sucesso em qualquer área, seja lá qual for que esteja sofrendo com a procrastinação, a nível inconsciente, não se faz. Por que se fizer, alcançará resultados positivos. E como lá dentro desse subconsciente roda o tempo inteiro os programas negativos a respeito de si mesmo, acontece o autoboicote.

O cérebro começa a utilizar a procrastinação. E inicia então a autossabotagem. Ou seja, o impedir do crescimento. E se você não tenta, não arrisca, não faz, não enfrenta, você também não cresce, não se expande e não prospera.

A procrastinação funciona como um círculo vicioso. No momento em que adiamos, podemos nos sentir bem e até aliviados, mas depois somos pegos com sentimentos de impotência, de culpa, de tristeza, fracasso e até o stress pode nos rondar devido a isso. E quando você menos esperar, estará lá novamente postergando. E a tendência é aumentar! Cada vez que deixamos de fazer uma tarefa, uma atividade ou algo que deveríamos ou nos propusemos a fazer, os sentimentos negativos tendem a aumentarem. E o que é pior, quando você diz que irá fazer algo e não faz, o seu cérebro registra e armazena. Sendo assim, a probabilidade de você não fazer as outras tarefas, planos, metas e objetivos que você se determinou a fazer aumenta muito. É aquela velha frase popular que todos nós já conhecemos de perto “Cão que late não morde”. Ou seja, fala, fala e nada faz.

A procrastinação é um fator bloqueador da prosperidade e do crescimento, pois impede a ação e as atitudes que gerariam resultados.

Nosso cérebro é como um computador, precisamos programá-lo para se tornar o nosso aliado!

E O QUE FAZER PARA ACABAR COM A PROCRASTINAÇÃO?

Algumas dicas:

1. Segundo especialistas e neurocientistas, uma das dicas seria se auto perdoar e exercer a autocompaixão quando tiver tais comportamentos. É mais ou menos assim: todas as vezes que você se pegar procrastinando, tente amenizar a sua autoculpa e tenha compaixão consigo mesmo. E prossiga a diante. Você estará superando um comportamento negativo anterior e focando nos próximos comportamentos futuros.  A tendência é a procrastinação ir diminuindo com o passar do tempo.

2. Você também pode se recompensar por cumprir o determinado. É como se fosse uma recompensa por fazer algo.  Faça mesmo sem querer! Faça mesmo sem vontade! Mas faça! Principalmente se você se determinar a realizar algo, vá até o final custe o que custar! E depois premie-se!

3.  A PNL( Programação Neurolinguística) é excelente para trabalhar a procrastinação e  poderá ajudar muito . Elimine de uma vez por todas, a procrastinação esse autoboicote silencioso da sua vida!

Saiba um pouco mais a respeito da autossabotagem aqui no blog. Acesse: https://pausaparaaquecerocoracao.com/2019/07/06/autossabotagem-quem-a-tem-nao-precisara-de-adversarios/

Texto de autoria de Hérica Rodrigues